Pub

erica sofia

Com apenas 18 anos de idade, a nadadora internacional cabo-verdiana Érica Soares completou este domingo, 1, num tempo de cerca de seis horas e meia, o trajecto, em mar aberto, de Quebra Canela (Praia) à Cidade Velha, num percurso de 12 km. A atleta promete surpreender da próxima vez e já fala em nadar 25Km.

Eram por volta das 07:30 quando esta jovem atleta de 18 anos, natural do Tarrafal, Santiago, iniciou este trajecto, um percurso inédito na história da modalidade em Cabo Verde, acompanhada pelo médico Zé da Rosa, do nadador Emanuel Charles d´Oliveira “Monaia”, do surfista Adilson Silva, e de três embarcações da Polícia Marítima e dos Fuzileiros.

Quando o relógio marcava 13:57, Érica Soares chegou ao porto de Cidade Velha, onde foi recebida por uma grande moldura humana ao som do batuco, improvisado pelas batucadeiras presentes, e de um forte aplauso. Em terra, Érica Soares foi assistida pelo médico e por um enfermeiro que lhe fez medição da tensão arterial, pulsação e hidratação, tendo garantido que ela estava em “perfeitas condições”.

Em declarações à imprensa, depois da recuperação, esta jovem nadadora disse estar sem palavras por ter alcançado este feito inédito no país, depois de um mês de preparação.

“Não foi difícil porque eu estava à espera de encontrar vento no mar, mas não, só apenas na ponta da Cidade Velha é que deparei com um pouco de vento. Apesar da agitação do mar conseguiu chegar e estou muito contente, ainda mais com essa recepção que eu não estava à espera”, afirmou.

Com esta travessia, esta jovem quer dar voz aos nadadores e conseguir apoio para continuar a treinar e formar em Educação Física, no Senegal, pois, um dos seus sonhos é ensinar as pessoas a nadar.

Questionada qual será a próxima etapa, Erica Soares disse que, quem sabe, pode surpreender com 25 Km. “A minha meta vai aumentando a cada dia. Comecei em 02:30, depois foi 5 km, passei para 12 e, quem sabe, poderei surpreender-vos com 25 Km”, perspectivou.

O nadador Emanuel Charles d´Oliveira “Monaia”, que prestou assistência durante todo o percurso disse que a Erica Soares deu prova de que está preparada para representar o país em competições de águas abertas.

“Essa natação é difícil, é considerado uma maratona a nível de natação em águas abertas. Há provas dessa natureza fora do país, que ela gostaria de participar e representar o país, e deu prova de que pode cobrir essa distância. Não é uma distância fácil, todos têm de parar para fazer alguma coisa e foi o que ela fez e cumpriu as normas de uma travessia dessa duração”, assegurou.

Durante este trajecto, de quase sete horas, informou que a jovem fez toda as sessões como parar para hidratar-se e alimentar-se e que apenas teve algumas dificuldades devido à correnteza, mas que mesmo assim ela não parou.

Instando se em algum momento a Erica pensou em desistir, Monaia assegurou que não e que ela só desistiria se tivesse uma lesão grave ou se estivesse o estado do mar impraticável.

“Ela é uma moça muito corajosa, lutadora (…) não é gente para desistir facilmente. Ela apenas em alguns momentos mudou o estilo de natação só para descansar certos músculos”, sublinhou.

De realçar que no porto de Cidade Velha, Érica e sua equipa foi também recebida pelas autoridades locais, pelo vereador do Desporto na Câmara Municipal da Praia, José Santos, e pelo vereador do Desporto do Tarrafal, Daniel David Soares, pelos deputados nacionais Hélio Sanches e Joana Rosa.

Érica Soares competiu pela primeira vez na natação em São Silvestre no Tarrafal e depois teve oportunidade de representar Cabo Verde nos primeiros Jogos Africanos de Praia, evento que decorreu no passado mês de Junho, na ilha do Sal.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar