Pub

pepetela

O escritor angolano Pepetela venceu hoje o Prémio Literário Casino da Póvoa 2020, com o livro "Sua Excelência de Corpo Presente", atribuído no âmbito do encontro literário Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim, anunciou a organização.

O júri do concurso decidiu distinguir a obra deste autor, de 78 anos, nascido em Benguela, "pela originalidade do estratagema narrativo", atribuindo-lhe o prémio no valor de 20 mil euros.

Pepetela sucede assim ao autor português Luís Quintais, que em 2019 venceu, na categoria de poesia, o galardão máximo do Correntes d'Escritas, encontro de escritores de expressão ibérica que decorre oficialmente a partir de hoje na Póvoa de Varzim.

Foi por unanimidade que o júri constituído por Ana Daniela Soares, Carlos Quiroga, Isabel Pires de Lima, Paulo Mendes Coelho e Valter Hugo Mãe atribuiu o prémio a Pepetela, destacando “a originalidade do estratagema narrativo eficaz para denunciar com ironia uma história de nepotismo e abuso de poder próprios de sistemas totalitários” e manifestando-se “sensível à dimensão antecipativa da ficção do autor, que estabelece fortes pontos de contacto com a realidade actual”.

Pepetela, 78 anos, sucede ao poeta Luís Quintais, distinguido em 2019 com A Noite Imóvel. Prémio Camões em 1997, Pepetela integrava a lista de 15 finalistas nomeados pelo júri a partir de mais de 120 candidatos, na qual encontrávamos Leonardo Padura (A Transparência do Tempo)Valério Romão (Cair para Dentro)Joana Bértholo (Ecologia)Lídia Jorge (Estuário), Pedro Juan Gutierrez (Fabián e o Caos), Mário Cláudio (Memórias Secretas), João Paulo Sousa (Ninguém Espera por mim no Exílio), Mia Couto (Bebedor de Horizontes), Ana Cristina Leonardo (O Centro do Mundo)Rui Lage (O Invisível)Maria Gainza (O Nervo Óptico)Fernando Aramburu (Pátria) e Kalaf Epalanga (Também os Brancos Sabem Dançar)

Com Lusa e Público

Comentar