Pub

Abraão1

O Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas vai financiar 43 dos 139 projectos que se candidataram aos fundos públicos de 2019. Os projectos, a maioria de iniciativa privada, corresponde a menos de 1/3 do total de candidatos.

O MCIC não especifica na nota de imprensa enviada à nossa redacção quais os projectos que foram contemplados, mas diz que “priorizou” as artes plásticas e visuais e a fotografia, o artesanato, a dança, o design e a moda, assim como a música, o teatro e a literatura.

Também não diz de onde vieram as propostas aprovadas, mas revela que o grosso das candidaturas é oriundo da ilha de Santiago, com 77. O “pódio” é ainda ocupado por S. Vicente (25) e S. Antão (8).

Ao MCIC chegaram também propostas das ilhas do Sal e do Fogo (7), da Boa Vista e do Maio (2) e de S. Nicolau e ainda da Diáspora, neste caso Portugal (5) e Luxemburgo (1), restando quatro que não dão indícios da sua origem.

O leque de projectos apresentados revela também diversidade na sua natureza. Há candidaturas das áreas de artes plásticase visuais e fotografia (13), artesanato (9), cinema (7), dança (9), design e moda (9), formação (7), gravação de CD (6) e de videoclip (1) e publicidade (1).

Sem surpresa, os projectos musicais dominam a lista (33), seguindo-se a literatura (19) e o teatro (15). Outros 10 projectos não possuem a indicação da área em que se inserem. Facto é que, os 139 projectos totalizam um valor que está perto dos 210 mil contos.

Esta é a terceira que o MCIC, através deste edital de financiamento, apoia projectos culturais. A primeira vez foi em 2016.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar