Pub

JHAlmada

A partir de São Vicente, a líder do maior partido da oposição, Janira Hopffer Almada (JHA), escreve na sua página pessoal do facebook que "o "sector motor' da nossa economia - o turismo – precisa começar a "arrastar" o sector da Cultura, fazendo-o crescer”.

A presidente do PAICV, que se encontra em São Vicente para uma série de visitas “às instituições, para auscultar as forças vivas e, ainda, discutir com a sociedade Mindelense questões relevantes para a Ilha", segundo uma nota de imprensa chegada à redacção de Santiago Magazine, fez estas considerações na sequência de uma visita que efectuou à Feira do Artesanato e Design de Cabo Verde, a decorrer na Praça Nova.

Afirmando-se impressionada com a feira, Janira Hopffer Almada, escreve que viu artistas fantásticos e pôde apreciar “trabalhos extraordinários”, o que, na sua óptica, testemunham que “de facto, a cultura pode, também, e se devidamente apoiada, ser o nosso diferencial”.

“Por isso mesmo, temos de priorizar este Sector e querer fazer mais. É possível dar mais atenção aos nossos Artistas. É preciso apoiar a sua capacidade, garantindo-lhes mais formação lá onde necessitem. É preciso facilitar o seu acesso às matérias-primas. É preciso ajudá-los na profissionalização da comercialização.”, sugere a líder do PAICV, para concluir que, “sobretudo, é preciso que o "sector motor' da nossa economia - o turismo - comece a "arrastar" o sector da Cultura, fazendo-o crescer também.”

JHA e artesão1

Na sua perspetiva, agindo assim, “o país ganha, gerando mais riqueza e os cabo-verdianos ganham, pois há um grande número de pessoas que têm na cultura a sua profissão”.

“É possível fazer mais. E já é altura de, sobretudo neste sector, deixarmos de priorizar somente nos discursos e passarmos a priorizar na prática”, critica JHA, observando que “este País pode ter muitos gênios da cultura escondidos…Precisam apenas de uma oportunidade, para que as suas obras sejam conhecidas além-fronteiras e se transformem em “Embaixadores (as)" de Cabo Verde lá fora”. 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar