Pub

Pragas Banana 696x348

A comunidade de Banana no concelho de São Domingos, interior de Santiago, apela a uma intervenção urgente do Ministério da Agricultura em vista a combater as pragas que têm atacado as plantações de milho nos últimos dias.

Em declarações à Inforpress, o presidente da Associação Comunitária de Banana, Jaime da Rosa disse que a população de Banana está a perder aos poucos o ânimo levantado com os sinais de que este ano os resultados poderão ser diferentes do que no ano passado, em que não choveu.

Segundo Jaime da Rosa, há cerca de cinco dias que uma praga, cujo nome desconhece, tem atacado as plantações de milho, para o desespero dos cerca de 80 camponeses da região que, até agora, “estavam com esperança numa boa colheita”.

“Já chamamos a Delegação do Ministério da Agricultura para virem resolver o problema. Se não chegarem dentro de 8 a 10 dias estará tudo perdido”, avançou Jaime da Rosa, dando conta que foram informados pelo pessoal da delegação que uma equipa iria ao terreno na manhã de hoje, mas que até então (por volta das 14 horas) continuavam à espera.

“Fui ter com o delegado, ele me pareceu ser um bom profissional, mas a equipa que mandou ainda não chegou”, acrescentou.

A Inforpress contatou o delegado do MA, Ermelindo Barros a esse respeito, e este responsável confirmou ter conhecimento da situação e que uma equipa já foi destacada para ir até Banana se inteirar da situação.

Com Inforpress

 

 arvore caido Cópia

A tempestade tropical “Helena”, que desde a noite de sábado se faz sentir em Cabo Verde, provocou a queda de árvores e inundações pontuais no arquipélago, particularmente em Sotavento, tendo causado maiores estragos nas ilhas do Fogo e da Brava.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Serviço Nacional da Proteção Civil (SNPC), Reinaldo Rodrigues, afirmou que a tempestade, que começou ao fim do dia de sábado, deixou um rasto de estragos pontuais.

Na Serra da Malagueta, na ilha de Santiago, registou-se a queda de dois postes de eletricidade, entretanto reparados, enquanto nas ilhas do Fogo e da Brava há a indicação da queda de várias árvores e de pedras nas estradas.

Em São Filipe (ilha do Fogo), um poste de telecomunicações caiu devido aos fortes ventos que têm caracterizado a passagem da “Helena” pelo arquipélago.

Esta tempestade tropical é a oitava da atual temporada ciclónica no Atlântico, e caracteriza-se por ventos e chuvas fortes.

Com Lusa

O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) acaba de emitir um comunicado, alertando para mau tempo nos próximos dois dias. De acordo com o INMG o país estará sob influência de uma depressão, com possível evolução para tempestade tropical, que poderá provocar “ventos fortes, mar muito agitado e chuvas, por vezes com trovoadas, principalmente em Sotavento”.

 naom_58612778107b0.jpg

Conforme avança o INMG Prevê-se chuva em todo o arquipélago, sendo moderada a forte em Sotavento, acompanhada de trovoadas, durante o período crítico.

O período este que será a noite de 31 de Agosto e madrugada e manhã de 01 de setembro. As ondas poderão chegar a 6 metros de altura.

Por isso esta instituição recomenda a tomada de medidas de precaução e segurança, face à ocorrência de ventos fortes, principalmente nas zonas de maior altitude, forte agitação marítima, com destaque para o litoral sudeste e sul das ilhas do Sal, Boavista, Maio, Santiago, Fogo e Brava, enchentes nas zonas baixas e deslizamento de terra nas encostas.