Pub

Cada vez mais sólida, a Universidade de Santiago (US), em Santa Catarina, inicia o ano lectivo com uma nova oferta formativa a nível de licenciatura e do CESP, com aposta forte na consolidação dos cursos existentes e de pós-graduação. A novidade maior é abertura do curso de licenciatura Nutrição e Qualidade Alimentar.

A informação foi avançada à Inforpress pelo director dos Serviços Académicos, Luís Rodrigues, a propósito do arranque do novo ano lectivo naquela instituição, aprazado para esta quarta-feira, destacando um crescimento em termos de números de alunos face ao ano anterior, ou seja, mil a mil e 200 inscritos para este ano.

De acordo com a mesma fonte, a “grande novidade a nível da licenciatura é abertura do curso de Nutrição e Qualidade Alimentar, no campus de Assomada”, que, segundo sustenta, é uma “aposta muito importante numa área deficitária em Cabo Verde, uma formação nova no país”.

Rodrigues afiança que esta formação nova no país tem tido uma adesão “interessante por parte dos alunos e que aumenta os cursos da instituição na área da Saúde”.

Já na extensão do Tarrafal, a US fez uma “aposta forte nos Cursos de Estudos Superiores Profissionalizantes (CESP), com a abertura de uma nova versão do curso do Turismo Rural e Ecológico (segunda vez), Desenvolvimento de Produtos Multimédia (curso existente no campus da Praia), e ainda perspectivam abrir o curso CESP em Educação de Infância”.

Na Cidade da Praia, explicou, a aposta é a nível de pós-graduação,  com mestrados em Pedagogia e Gestão de Recursos Humanos, numa parceria com universidades portuguesas e brasileiras que serão, de acordo com o responsável, “um diferencial muito grande para a Universidade de Santiago”.

Lembrou que, além dos cursos novos, fizeram uma “grande revisão” nos cursos existentes nos últimos três anos, mormente Relações Pública e Comunicação Empresarial, Gestão de Recursos Humanos (licenciatura) e Estudos Ingleses.

A US, que actualmente não conta com os cursos como História, Sociologia, Filosofia e Serviço Social e Politicas Públicas no plano curricular, segundo informou Luís Rodrigues, tem elaborado os cursos de acordo com o mercado de trabalho e procura por parte dos alunos.

Relativamente à taxa de aprovação considerou de “positiva”, tendo em conta que houve cursos com percentagem de aprovação muito alta.

Para além do ensino (licenciatura, CESP e pós-graduação), a Universidade de Santiago também conta com os pilares de pesquisa e extensões, que considerou de “ três pilares essenciais” das quais a US “não abdica”, argumentando que sem esses “três grandes” pilares nunca seria uma universidade.

No pilar extensão, Luís Rodrigues adiantou que vão manter os “projectos estruturantes”, nomeadamente US Comunidades e Rotas do Arquipélago, em que perspectivam três edições e uma respectivamente.

Ainda no âmbito dos cursos de mestrados, está prevista a realização de um congresso em que vão trazer especialistas para debater em Cabo Verde a questão das “tecnologias educativas” e, não menos importante também, a problemática da educação em Cabo Verde.

Já no pilar pesquisa, que considerou ser o “parente pobre” do Ensino Superior em Cabo Verde, avançou que a US tem alguns projectos “interessantes”, ligados aos cursos de mestrados, e ainda um ligado a um programa de iniciação científica para os alunos de licenciatura, ressalvando que a ideia é ter pelo menos um projecto de pesquisa por departamentos.

Com Inforpress

Comentar