Pub
Por: Romice Monteiro, Estagiária

Embaixada de Portugal

A Juventude do PAICV (JPAI), condenou hoje em conferência de imprensa na cidade da Praia a forma “injuriosa” como a Embaixada de Portugal tem tratado os jovens candidatos a um visto para prosseguir os estudos em Portugal e pede a intervenção do Governo.

O secretário-geral da JPAI, Yuri Pereira, diz que se trata de uma situação preocupante a forma como a Embaixada de Portugal atende os estudantes que procuram vistos para estudar naquele país a União Europeia e pede a intervenção dos Ministérios da Educação e dos Negócios Estrangeiros no sentido de intervirem junto das autoridades portuguesas para se resolver este problema que tem provocado grandes frustrações na juventude cabo-verdiana.

As dificuldades são muitas e a JPAI tem acompanhado com atenção esta problemática que reclama por outra atenção do Governo, este que há bem pouco tempo anunciou a isenção de vistos de entrada em Cabo Verde para os cidadãos europeus.

“O tratamento e o processo de documentação nos Serviços da Embaixada é lento, muito dispendioso e o mais grave é que há profunda incerteza na obtenção do visto”, observa Pereira, para quem os critérios não têm sido muito claros.

As idas e vindas à Embaixada são inúmeras, e envolvem custos financeiros e emocionais elevados, “principalmente, para aqueles que são do interior da ilha de Santiago e os de outras ilhas, que não dispõem de qualquer Representação Consular”, sendo uma grande barreira para os jovens que sonham formar-se em Portugal.

Numa declaração à Rádio Nacional de Cabo Verde a Embaixadora de Portugal em Cabo Verde, Helena Paiva, informou que os serviços consulares já reforçaram as condições de atendimento aos estudantes, pelo que não faz sentido a longa espera na rua da Embaixada.

Esta diplomata diz que neste momento a Embaixada consegue atender cerca de 70 pessoas diariamente, sendo 50 com senhas individuais e mais 25 a 30 das Câmaras Municipais, pelo que não há necessidade de os estudantes ficarem na rua da Embaixada.

Ademais, acrescenta que ainda há tempo, uma vez que os atendimentos para os estudantes se arrastam até Outubro.

Comentários  

0 # Stevenn Cabral 11-09-2017 15:51
Cabo Verde tem muito jovens, cada um procura soluções para mudarem suas vidas, se fomos ver nós cabo-verdianos não temos garantia que Cabo Verde vai melhor porquê de cada 4 anos é um tipo de mentira e promessas não cumpridas, os jovens não tem trabalho desanimam, não terão escolhas e acabam por ir seguir uma vida de inferno, culpa de quem do Governo medíocre e um país cheio de coruptos e só pensam em roubar, e aqui não vejam pelo talento nem ser bom, embaixada de Portugal toma os documentos e 9000$ e não colocam vistos e não entregao documentos de volta, decepcionado com esse país, até sinto vergonha mesmo.
Responder
0 # Jovem estudante 03-09-2017 15:00
Estou decepcionada com governo.
Ulisses disse ki si partido é Cabo Verde más não. Di partido é si grupinho e di família.
Um governo ki ka tem um Ministério pa juventudi é duedu.
Fidju di Ulisses é novo chefe di Binter na Cabo Verde... fidju di Tober dja staba na Binter...
Responder
+1 # Carvalho 30-08-2017 22:53
Princezito tem razon di canta ... inda nós ki sata debi

https://youtu.be/tyECsbrgL0U
Responder
+1 # Paula 30-08-2017 22:40
Coisa feia. Nós ta txoraminga visto ês ta bem na boooa sem djobe pa ladu. Paxenxa
Responder
-4 # alirio 30-08-2017 20:12
A sanha Paiciana no seu melhor contra Portugal.
O Paicv se pudesse, acabava com a lingua portuguesa, e passávamos todos a falar olofe ou frances, só pelo gosto e capricho dos senhores ASC os tais lupecs. Mas que bom! iriamos ter turistas vindo de Nig+eria, Dakar, costa do marfim! Uhau! que alegria teriamos os neves, os veigas e os demais aficanistas de ASC
Responder