Pub

trapiche santo antao 768x426

O Governo vai implementar um novo plano de acção para acelerar a implementação da Lei do Grogue, uma vez que, a nível nacional, apenas 19 unidades de produção (6%) cumprem os requisitos exigidos.

A informação sobre esta decisão foi avançada pelo ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, que se encontra em São Nicolau para uma visita de dois dias, a fim de se inteirar do funcionamento de algumas unidades industriais, principalmente as da produção de aguardente.

Alexandre Monteiro esclareceu que esses seis por cento representam apenas 19 unidades do total das fábricas artesanais instaladas no país, lembrando que aquando da aprovação da lei, em 2015, havia algum “desfasamento” em relação à realidade, dado que apenas três por cento obedeciam aos mais de 50 por cento dos requisitos mínimos exigidos.

Como exemplo, Alexandre Monteiro destacou sobretudo a questão da localização, da matéria-prima e da instalação, para além de outras obrigações que os produtores devem obedecer para um fabrico de qualidade de aguardente.

“Pretendemos acelerar esse processo de modo a ter, num horizonte de três anos, apenas unidades de produção de aguardente que cumprem acima dos 50 por cento dos requisitos, que são os míninos aceitáveis para reduzir o risco de produção de aguardentes nocivos à saúde pública“, disse o governante.

Esse plano, segundo o ministro da Indústria, Comércio e Energia, vai permitir uma adequação mais célere da legislação, estabelecer um mínimo de quesitos aceitáveis para licenciar as unidades de produção e reforçar a fiscalização.

Em relação a São Nicolau, Alexandre Monteiro informou que “está acima da média” do país, com 33 por cento das unidades a cumprir os requisitos e com as restantes com o mínimo aceitável em termos de condições de adequar às exigências de ultrapassar os 50 por cento das condições exigidas.

Para esta terça-feira, 7, o ministro tem um encontro com o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Brava e visitas à unidade dessalinizadora de Água de Preguiça, à zona de Chã de Norte e a uma unidade de produção de aguardente, onde vai apresentar esse novo Plano de Acção do Governo para acelerar a implementação da Lei do Grogue, aprovada em 2015.

Com Inforpress

Comentários  

0 # Zender 13-08-2018 12:44
Há cumplicidade vergonhosa de quem tem a função de controlar tal qualidade!
Pela quantidade dos faltosos a operar livremente no mercado deviam extinguir a Instituição de controle que pelos vistos gasta um rio de dinheiro de um país sem rio algum!
Liberalização total da produção em 365(6) por ano e deixar a regulação do mercado à mercê dos usuários.
Quem quer bom grogue paga pelo preço estipulado e quem se lixa na qualidade é livre de consumir o que pode pagar ou lhe é oferecido.
Ponto final e basta de gastar dinheiro atoa em instituição que apoiam a fraude em vez de dar combate!
Responder
0 # Papaxo 07-08-2018 13:33
Mesmo assim aquele mentiroso da IGAE anda mentir. O Sr. Ministro desmentiu o IGAE. Como é possível ainda manté-lo no cargo? O gajo é o maior camaleão antes visto. Aparece ano pós anos na comunicação social gabando-se de ter celado 500 alambiques e não tinha dado conta da gravidade da situação.
Responder
0 # H2SO4 07-08-2018 10:22
Por isso nao bebo grogue. Nao há contrlo nenhum. Este governo tem muita basofaria..... como nesta matéria nao entra entra $ para o bolso deles........ enfim é vida...
Responder
0 # Western 07-08-2018 13:58
O grouge feito em Cabo Verde é, na sua maioria, uma porcaria. Quem estiver interessado na sua saúde não deve nem cheirar sequer. As autoridades não têm pulso nem coragem para fazer vingar a lei.
Responder