Pub

homicidio1

Cabo Verde registou nos primeiros cinco meses do ano 53 homicídios, mais 21 do que em igual período do ano passado. Segundo dados da polícia judiciária, obtidos pela Lusa, de Janeiro a Maio deste ano, foram registados em Cabo Verde 49 homicídios simples, três negligentes e um agravado.

Durante o período, deram entrada na PJ, um total de 123 processos por homicídio, 70 dos quais na forma tentada. A maioria dos homicídios (38) foram registados no departamento Central de Investigação Criminal, na Praia, seguido dos departamentos do Mindelo, com sete, e do Sal, com quatro.

O número de homicídios registados nos primeiros cinco meses do ano representa um aumento de mais 40% neste tipo de mortes relativamente a igual período do ano passado, durante o qual foram contabilizados 32, sendo 23 simples, seis negligentes e três agravados. No mesmo período do ano passado, foram contabilizadas um total de 59 processos por homicídio, 27 na forma tentada.

A PJ não disponibilizou dados sobre as armas utilizadas nos homicídios, nem o número de detenções associadas a estes crimes, mas fonte da corporação policial adiantou que vários casos ainda estão sob investigação.

Analisando a totalidade em cada ano, os números mais expressivos foram registados em 2014, com 65 homicídios, seguido de 2016, com 62, mas inflacionados pelo caso "Monte Txota", onde 11 pessoas - oito militares e três civis - foram assassinadas às mãos de outro militar.

No ano de 2012, registaram-se 56 homicídios, mais dois do que em 2013. Os valores registados de janeiro a maio deste ano são iguais aos contabilizados em todo o ano de 2011.

Em 2017, foram registados 38 homicídios no total do ano, sendo que o valor mais baixo dos 11 anos analisados foi o de 2007, com 29 casos. No ano passado, o número de homicídios em Cabo Verde diminuiu 39%, num contexto de redução da criminalidade geral na ordem dos 10,7%, segundo dados da Polícia Nacional.

De acordo com dados das Nações Unidas, Cabo Verde passou de uma média de 6,2 homicídios por cada 100 mil habitantes em 2013, para 8,84 em 2015.

Com Lusa

Comentários  

+1 # Djosa Neves 30-06-2018 19:29
E então, não vão corrigir a noticia?
Responder
0 # Manuel Miranda 30-06-2018 10:10
Se isto é mesmo verdade, estamos em plena guerra civil e salva quem poder. É Deus nos acuda. Que triste. Kusa Ka sta boniiiito.
Responder
0 # Manuel A Gomes De Mi 30-06-2018 10:07
Se tudo isso é mesmo verdade, estamos em plena guerra e salva quem poder. Deus nos acuda. Que pena.
Responder
0 # Di Pikus 28-06-2018 12:16
Afinal, unde (des)ministro de administração interna e se falsos dados? Nhu pensa ma nhu sta trata ku bacan nê? É midjor nhu agi frontalidade em vez de nhu sta na mídia ta fala só mintira e ta manipula dados.
Responder
0 # Djack 30-06-2018 20:14
Sim, és um bakan!
Responder