Pub
Por: Redacção

José Manuel Vaz

O presidente da Confederação Cabo-verdiana dos Sindicatos Livres (CCSL) decidiu entrar em greve de fome a partir desta terça-feira, 26, “por tempo indeterminado”, até que “seja reconhecida e posto em prática o principio da Liberdade Sindical e a não ingerência e intromissão dos Poderes Públicos, nos assuntos internos sindicais em Cabo Verde”.

José Manuel Vaz deveria comparecer esta manhã no tribunal da Praia para julgamento num processo movido pelo ex-ministro da Justiça, José Carlos Correia, mas o sindicalista decidiu, em protesto, faltar à audiência e prostrar-se em frente ao Palácio da Justiça em greve de fome por tempo indeterminado.

Num post publicado pelo próprio Vaz no facebbok, ele explica que está “inconformado com práticas de abusos do poder e vítima de atos de perseguição, tentativa de intimidação e de Injustiça, ao longo de vários, por parte de um ex-Ministro da Justiça, Sr. José Carlos Correia”.

“No exercício pleno das minhas funções sindicais e em defesa dos direitos e dos interesses profissionais do Pessoal da Policia Judiciaria, PJ de Cabo Verde, fui notificado no passado dia 16 do corrente mês de Junho, sem conhecer os Autos de Acusações e sem Direito de Defesa, para o Julgamento hoje, com início às 08h00 (oito horas), pelo Tribunal da Comarca da Praia – 3° juízo crime, através do despacho, Processo n° 32/2017 de 30 de Maio. Não se tratando de um acto pessoal conforme a Notificação do Tribunal Judicial da Comarca da Praia, decidi o seguinte: a) Não comparecer no Julgamento marcado para hoje dia 26 de Junho com início às 08h00; b) Entrar em “greve de fome, por tempo indeterminado” até que seja posto o “fim de práticas de abuso de poder; actos de perseguição; tentativa de intimidação e injustiça; e que seja reconhecida e posto em pratica o principio da Liberdade Sindical e a não ingerência e intromissão dos Poderes Públicos, nos assuntos internos sindicais em Cabo Verde”, escreve o presidente da CCSL.

José Manuel Vaz diz esperar “o Julgamento seja feito Publicamente e nos olhos de todas e de todos os cabo-verdianos e da Comunidade Internacional acreditados em Cabo Verde”.

O litígio entre Vaz e o ex-ministro José Carlos Correia vem deste 2015, quando o sindicalista acusou o então governante “de facilitar o tráfico de droga e o terrorismo em Cabo Verde”. A declaração do presidente da CCSL surgira na sequência da greve da Policia Judiciária. José Manuel Vaz acusou, na altura, José Carlos Correia de faltar ao respeito à esta classe profissional ao classificá-los de mercenários.

O governo repudiou a “inflamação e o radicalismo de um discurso que, visando tão só o extremar de posições num processo em que o Governo tudo tem feito para que se alcance o consenso, socorre-se de uma mensagem atentatória da dignidade e bom nome individual do Sr. Ministro da Justiça, ultrapassando flagrantemente os limites da liberdade de expressão e de liberdade sindical”.

Comentários  

+1 # Analista Sincero 27-06-2018 20:50
E simplismente, bem notório que os cinco primeiros comentários pertencem ao mesmo parvo, oh desculpe: pertencem ao mesmo comentarista.
Haja decência.
Responder
-1 # Zeca 27-06-2018 12:01
O homem está FLIPADO porque não lhe foi dado nenhum cargo (Ministro de Trabalho e Solidariedade Social), num governo que tanto contribuiu para o seu nascimento. Caramba, pá! Era uma forma de deixar o cargo que, apesar de mordomiado, o homem já está saturado. Mas não sai! Imaginem o Chefe de uma Central Sindical a chamar RAPAZINHO a um membro de Governo da República! Haja Educação!
Responder
-1 # FL 26-06-2018 14:44
Este sindicalista JMV é um bandido. Estejam atentos cabo-verdianos
Responder
-1 # Clorinda de Almeida 26-06-2018 14:00
Um grande mentecapto este senhor e parasita do sistema de porcaria implementado nesta república de bananeira. Fala parvamente e não quer responsabilidades. Isso que era bom. Por mim que o senhor faça greve de fome e perca alguns quilos de azia. no tempo de outro governo o senhor passava a vida a fazer campanha. E agora seu descarado? Acha que os caboverdianos são parvos. Vá para o inferno, se quiser.
Responder
0 # jose Barbosa 26-06-2018 11:48
Fez acusacao deve responder na justica para que tenha chance de provar ou entao ser incriminado por calunia. Ali nao ha politiquices pelo meio. Seja homem tire o rabo do chao va ao tribunal defender as tuas acusacoes. Ou entao peça desculpas. Para isso tambem ha que ser homem.
Responder
0 # Nelson Alved 26-06-2018 10:26
Pa mi bu ta morre de fome mentiroso cachoro e sem carater. Bu stive durante tudo tempo ta fase campanha bu conta mentira e bu calunia pessoas inocentes goci go bu cre finge de santinho. Que o diabo o tenha. E nho faze favor de bai pide desculpa pa kel linguagem baixo ki nho teve se nao nu ta implora pa pena de morte pa nho.
Responder