Pub

 

José Gonçalves,   que falava à imprensa a propósito da  primeira remodelação do Governo do MpD, explicou  que desde o início do mandato  discutiu com o primeiro-ministro a possibilidade de colocar um ministério na ilha de São Vicente, e ele, referindo-se a Ulisses Correia e Silva, entendeu que este era o melhor momento.

“Reconhecemos a importância que a ilha tem no sector económico da nação e por isso vamos dar uma nova dinâmica neste sentido”, avançou o ministro que passa a contar, neste quesito,  com o apoio de um secretário de Estado adjunto,   o actual deputado da nação Paulo Veiga,   porque reconhece que há “muitas reformas a fazer” que exigirão a “reestruturação de todo o sector”.

O actual ministro de Economia e Emprego  passa assim a ser ministro de dois ministérios autónomos e passará a dividir o seu tempo entre  a Cidade da Praia, onde ficará sediado o Ministério do Turismo e dos Transportes, e  a cidade do Mindelo onde se localizará o Ministério da Economia Marítima.

José Gonçalves  avançou  que   não é novidade em Cabo Verde um ministro   com dois ministérios porque  já houve dois casos antecedentes,   só que a diferença, desta vez, é a distância entre os dois,  que será um pouco maior.

“A tutela do Ministério da Economia Marítima vai ficar aqui mais próxima de tudo aquilo que é a estrutura ligada ao mar e haverá um foco muito mais preciso e uma concentração que irá imprimir muito mais dinamismo” explicou o ministro, que concorda que o ministério tem funcionado até agora de forma “desagregada e desarticulada”.

O ministro explicou que  estava  sediada  em São Vicente a  Direcção Nacional  da Economia Marítima, que supostamente, como afirmou, deveria ser um embrião da parte do  ministério, mas “não estava a ser suficiente”, daí a decisão de se criar um “verdadeiro” Ministério da Economia Marítima que, pela primeira vez na história de Cabo Verde, funcionará de forma autónoma.

“É neste sentido que queremos trazer todo  o enfoque para dar esse novo dinamismo precisamente para dar resultados concretos ”, sintetizou o governante, que elencou a criação da escola do mar, a  criação de competências  e formação em todas as áreas e a aposta na reforma dos recursos humanos, como  alguns dos incentivos que irão proporcionar ao  país novas competências de desenvolvimento no sector marítimo.

A remodelação governamental proposta pelo executivo liderado por Ulisses Correia e Silva está previsto para ser implementada no próximo dia 05 de Janeiro de 2018, com a tomada de posse dos novos membros do elenco governamental.

Sem substituir nenhum dos ministros, Ulisses Correia e Silva acrescenta ao Governo mais dois ministérios e  seis secretários adjuntos, sendo um deles para o Ministério da Economia Marítima  que, ao contrário do ministro que dividirá  seu tempo entre a capital e o Mindelo,   terá residência efectiva em São Vicente.

Com Inforpress

Comentários  

0 # Ana Cláudia Monteiro 11-01-2018 15:57
SR. MINISTRO TENTA COM ISSO O SEGUINTE: 1º VIVER NA ILHA ONDE A SUA ESPOSA VIVE E ABOCANHAR O MÁXIMO QUE PUDER DO DINHEIRO QUE O PROJECTO CHINES PRETENDE INVESTIR;2º TENTAR CALAR A BOCA AOS SANVICENTINOS QUE NÃO QUEREM MAIS SABER DESSE CENTRALISMO EXAGERADO. MAS NÃO MEUS SENHORES NO DIA 13 DE JANEIRO VAMOS SAIR AS RUAS SIM E EXIGIR AUTONOMIA PARA TODAS AS ILHAS.
Responder
0 # DJo 09-01-2018 11:22
O Sr.Se entere essa jogada Ministro está nas nuvens. Queremos ver efectivamente o ministério instalado em Sao Vicente. Um mInistário com todos os #temperos#. Sr Ministro nao ve por dentro do seu ministério. Nao entendeu que colocaram o Alexandre Monteiro para fazer-lhe sombra e obrigar-lhe a pedir a sua demissao. Nao entendeu que o Alexandre nao vai residir no seu mesmo espaco físico? Que tipo de economia quer dar ao país ? Qual é o programa do seu ministério em Sao Vicente ? Publique o Staff e ocupacoes..... favor nao tratem de parvo os caboverdeanos....... cont.
Responder
0 # Ministério Fantasma 25-12-2017 16:50
Coitado. O homem foi escurassado do governo, mas nem deu conta! De um Super Ministro para um Ministro sem pasta e, mais com um Ministério Fantasma em São Vicente, o homem ainda anda animado e com, isso, pensa que, também, todos os mindelenses vão estar bem. Só troça!
Responder
+1 # SÓCRATES DE SANTIAGO 25-12-2017 12:19
Senhora Hermínia Silva Lopes, concordo com o seu comentário. A sua preocupação é também, creio eu, a da população geral de Cabo Verde. Um só reparo: o conceito e caracterização que V.Exa. faz de BADIOS e SAMPADJUDOS não estão certos e, neste caso, como socióloga, aconselho-a a pesquisar e aprofundar mais sobre a matéria. Quanto ao resto, assino por baixo. Cumprimentos socráticos!
Responder
+1 # SÓCRATES DE SANTIAGO 25-12-2017 12:06
Diz o provérbio que "PEXI TA MORI PA SI BOKA". Senhor José Gonçalves, V.Exa. vem confessar publicamente que o Senhor Primeiro Ministro criou o Ministério da Economia Marítima apenas para calar a boca a/de alguns regionalistas/bairristas de S.Vicente. Isto, senhor ministro de muita e nenhuma pasta, é muito grave e não faz lembrar nem ao Diabo. Em nenhuma parte do mundo se cria um ministério, seja qual for, apenas para beneficiar uma cidade ou ilha. Veja, senhor ministro, se a moda pega...Vamos ter em cada ilha ou cidade um ministério. E mais: esta medida fere, profundamente, o espírito da nossa Constituição da República que diz que a CAPITAL de Cabo Verde é a CIDADE DA PRAIA, onde fica a SEDE do GOVERNO DA REPÚBLICA, ou seja, o GOVERNO e OS SEUS RESPECTIVOS MINISTÉRIOS. E isto é assim em Portugal, França, EUA, China, Rússia, Angola, Brasil, etc.. Portanto, não se deve governar por populismo e tampouco fomentar, institucionalmente, o regionalismo e bairrismo. Cedo ou tarde, o MPD e o seu fraco governo vão pagar muito caro por isso. E olhe que SANTIAGO, a ilha maior, não está nada contente com isto e, oportunamente, vai dar a este PARTIDO BAIRRISTA, o devido troco.
Responder
+1 # Fantasia tola 25-12-2017 11:41
Sr. Ministro, não é o Ministério sediar aqui ou ali que as políticas se traduzem em resultados esperados. Isto é assim: Ou existe uma política, ou ela não existe. Portanto, estar ali ou aqui e, sobretudo, com o mesmo ou ou mesmos atores é igual. Demagogia e escapadela à Regionalização que tanto prometeram, no calor da campanha e como tempero para ganharem as eleições, E agora? Mas como alguns saudosistas do Mindelo do Porto Grande gostam dessas coisas, lá vão ficando animados por alguns dias.
Responder
+1 # Ze Tonto 24-12-2017 14:56
Kkkkkkkkkk.ahhhhh.Mas ó povo porque esperam alguma coisa do 1ministro mais fraco da historia de CV. O unico que se auto demitiu para descansar à sombra fresca do futuro pretensa presidente entregue ao ócio, para o Pavao andante do OLAVAO. Nao é olisses o batoteiro, o 2 faces, o vingador, o mentiroso, o nepotico, o usurpador, o impreparado, o fantasma, é somente o FRACO.
Responder
+1 # HERMINIA SILVA LOPES 24-12-2017 11:03
Eu sou de São Vicente e simpatisante do MPD desde1991. Eu sou sociológa e professora universitária e estou bastante preocupada com algumas declarações e decisões políticas. Qual é o Governo no mundo que isola um Ministério numa "região" (aqui uma Cidade) somente para satisfazer o ego de alguns fanáticos talibans bairristas. LAMENTO AS DECLARAÇÕES DE JOSÉ GONÇALVES AQUI PROFERIDAS. O que estamos a assistir é a estimulação não de bairrismo exarcebado entre as ilhas mas de ódio entre os caboverdianos entre badios (os campones, saloios e ignorantes) e os sampadjudos (a burguesia urbana que deve dirigir e beneficiar dos bons e melhores) É A POLITICA DO "DIVIDE AND RULE". Somos 500.000 habitantes e não há lugar para a politica da estimulaçao do ódio. Para uma governação mais coerente, rogo ao UCS de reunir todos os ministérios ma capital. O povo agraderá.
Responder
0 # Xupetinha 24-12-2017 10:13
XUPETA para o menino calar a boca.
Responder