Pub

Siege CEDEAO

Cimeira dos Chefes de Estado da CEDEAO é no 16 de Dezembro, em Abuja, Nigéria. Antes, o governo terá de discutir, em reunião de Conselho de Ministros, em quem apostar para liderar a Comunidade nos próximos anos.

O Governo anuncia na próxima semana o nome do candidato de Cabo Verde à presidência da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, disse hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades.

“O nome do candidato de Cabo Verde à presidência da CEDEAO será conhecido quando o primeiro-ministro entender, mas terá de ser antes da Cimeira dos Chefes de Estado previsto para 16 de Dezembro, em Abuja, Nigéria, e depende também das negociações que estamos a fazer”, disse Luís Filipe Tavares, adiantando que na próxima semana o Governo irá tratar do assunto na reunião do Conselho de Ministros.

O governante que falava à imprensa após ter presidido à abertura da I edição das Jornadas Abertas- Desafios Contemporâneos do Direito Internacional Público, que decorre na Cidade da Praia, nos dias 5, 6 e 12 deste mês, reconheceu que será uma “grande honra” para o arquipélago, para a CEDEAO e para a comunidade internacional, Cabo Verde presidir a Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental.

“Uma vez que a presidência é por ordem alfabética, esta é a vez de Cabo Verde e estamos a apresentar a nossa candidatura que será submetida na Cimeira dos Chefes de Estado” revelou apelando à serenidade e maior responsabilidade sobre estas questões, que no seu entender devem ser tratadas a nível do Governo de modo a se defender os interesses do arquipélago que está acima de tudo.

Questionado se o debate à volta das candidaturas não prejudica a candidatura do país, Luís Filipe Tavares disse que não uma vez que é legítimo que as pessoas se manifestem sobre esta matéria, mas realçou que o mais importante é que as candidaturas sejam feitas no quadro de responsabilidade, inovação e interesses de Cabo Verde.

No sábado, 2, a candidatura de Orlando Dias revelou em nota de imprensa, que a proposta que Cabo Verde apresentou à Comissão da CEDEAO, no sentido de amortizar as suas dívidas em dez anos, não foi aceite, o que pode “atrapalhar” o sonho do país em assumir a presidência da organização.

Na segunda-feira, 4, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares desmentiu a candidatura de Orlando Dias, e garantiu que o país tem “cumprido os compromissos assumidos com a CEDEAO” em matéria de pagamento das quotas em atraso.

Ao todo, são quatro os interessados cabo-verdianos que se perfilam à candidatura da presidência da Comissão da CEDEAO. Além de Orlando Dias, que é um dos vice-presidente do Parlamento da CEDEAO desde 2016, há ainda Isaías Barreto, que ocupa actualmente a função de comissário da CEDEAO para a área das Telecomunicações e Tecnologias de Informação desde 2014, o professor universitário nos Estados Unidos Júlio Carvalho, e o consultor jurídico António Andrade Lopes Tavares.

Com Inforpress

Comentar