Pub

O evento, que terá como figura central o primeiro Presidente da República de Cabo Verde, está marcado para os dias 16, 17 e 18 de Novembro. As actividades decorrerão na capital do país mas também na Boavista, ilha natal de Aristides Pereira.

aristides_pereira.jpg

A iniciativa é da Fundação Amílcar Cabral (FAC) e da Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP). O objectivo é segundo a organização “homenagear a pessoa que foi Aristides Pereira, o combatente e o estadista e ao mesmo tempo permitir que historiadores, investigadores, amigos e companheiros, as jovens gerações e a sociedade em geral possam refletir sobre o percurso e aquilo que fez Aristides Pereira”.

“Aristides Pereira e a Luta de Libertação Nacional”, “Aristides Pereira: o Estadista” e “Diálogo inter-geracional” são os três painéis em debate  no Auditório Nacional e na Biblioteca Nacional, na Cidade da Praia.

O evento contará com a presença de um representante do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos, do ex-embaixador norte-americano em Cabo Verde, Vernon Penne, e do general angolano António dos Santos França "Ndalu".

De angola virá também uma delegação da Fundação Agostinho Neto, que deverá proceder a uma homenagem a Aristides Pereira, a Amílcar Cabral e ao poeta Corsino Fortes, durante o simpósio.

Na ilha natal do primeiro chefe de Estado cabo-verdiano está prevista a inauguração do busto de Aristides Pereira no aeroporto que já tem o seu nome e a nomeação de uma avenida, na cidade de Sal-Rei.

O grupo de trabalhos fará ainda uma visita à localidade de Fundo das Figueiras, onde o homenageado nasceu e foi sepultado, em 2011.

Torneios desportivos, concursos escolares e uma sessão solene na Assembleia Municipal da Boa Vista são também outras actividades previstas para lembrar o homem que conduziu Cabo Verde desde a independência (1975) até à chegada da democracia em 1991.

Comentários  

-1 # alvim 12-11-2017 18:59
cabo verde é unico pais do mundo em que os ditadores sao recordados e celebrados. troça.
Responder
0 # VISIONÁRIO 09-11-2017 13:58
Ele sempre foi para mim a imagem acabada e polida de um bom chefe de Estado. Saudades do Camarada Aristides Pereira, da estirpe de gente fina lá de São Miguel e da Boa Vista. Eterno descanso e glória merecida ao enlevo herói da pátria.
Responder
+1 # Leston Bandeira 07-11-2017 11:57
É importante que a sociedade cabo-verdiana não perca a memória dos seus heróis, daqueles homens que sacrificaram as suas juventudes para lutarem pela Independência e pela transformação de um território considerado abaixo de todos os níveis de viabilidade. Aristides Pereira é, indubitavelmente, um deles. Desejo muito que este Simpósio permita que todos possam compreender a História de Cabo Verde em todos os seus contextos.
Responder
+1 # Goly amado 06-11-2017 22:04
Ja chegava hora de honra nossos heroi .a vezes sento que voces querem esquecer da luta e do sacreficios que os homens fizerom na guinne.nos nao podemos esquecer. Dos sofrimento escravaturas mortes crimes contra os povos.aprendemos. mas temos que recordar daqueles que nao durmio nao come .para defender os nossos direitos na vida.abrigado a os heroi .porque eu vivo livre.e naotenho medo de falar os meus direitos.mas gracas a eles.vive liberdade.viva estrela negra
Responder