Pub

teleaula

As aulas do primeiro ciclo em Cabo Verde, através da televisão e da rádio devido à pandemia de covid-19, arrancam em 27 de Abril, enquanto no ensino secundário começam uma semana depois, divulgou esta segunda-feira, 20, o ministério da Educação.

Denominado “Aprender e estudar em casa”, trata-se de um programa educativo alternativo ao encerramento das escolas do país desde 20 de Março, para impedir a transmissão de covid-19 no arquipélago.

Na mesma informação, em que refere que ao longo desta semana será divulgado o programa e modelo de funcionamento nos diferentes canais de comunicação, o Ministério da Educação explica que nas “tele e rádio aulas” do segundo ciclo (do 5.º ao 7.º ano de escolaridade) e do ensino secundário (nono ao 11.º ano) “serão introduzidas, paulatinamente, nas disciplinas nucleares de língua portuguesa e matemática”.

O primeiro-ministro anunciou sexta-feira, no Parlamento, antes da aprovação da prorrogação do estado de emergência no país, que a avaliação do terceiro período para os alunos das ilhas com riscos epidemiológicos de propagação de covid-19 será feita com base apenas nos dois períodos anteriores.

“O funcionamento dos estabelecimentos de ensino, de pré-escolar, básico e secundário com aulas presenciais será efetuado nas ilhas com baixos riscos epidemiológicos de propagação do covid-19, de acordo com o parecer da Comissão Técnica do Ministério da Saúde e com o cumprimento das normas de distanciamento social e de higienização asseguradas pela gestão das escolas”, anunciou Ulisses Correia e Silva.

Perante os deputados, o primeiro-ministro admitiu que “nos casos em que essas condições não estejam asseguradas, aplicar-se-ão as normas administrativas, previstas pela lei”, de forma a “garantir que todos os estudantes tenham a avaliação do terceiro trimestre, a qual será feita com base na avaliação dois trimestres anteriores”.

Acrescentou que no caso dos alunos do 12.º ano será feita uma “avaliação nacional”, mediante “a aplicação rigorosa de normas de distanciamento social e proteção individual apoiadas pelo Serviço Nacional de Proteção Civil”.

Além disso, explicou, arrancam na segunda-feira, 20 de abril (até 26 de abril para divulgação do modelo de funcionamento), em todo o território nacional, modelos de ensino à distância “telescola” e “áudioescola”, enquanto “instrumento de apoio ao ensino”.

A Assembleia Nacional aprovou sexta-feira, em sessão extraordinária, a renovação do estado de emergência.

Esta prorrogação prevê para as ilhas da Boa Vista, Santiago e São Vicente, todas com casos de covid-19, que o estado de emergência permaneça em vigor até às 24:00 de 02 de maio. Nas restantes seis ilhas habitadas, sem casos diagnosticados de covid-19, a prorrogação do estado de emergência será mais curto, até às 24:00 de 26 de abril.

O país regista atualmente 61 casos de covid-19, distribuídos pelas ilhas da Boa Vista (51), Santiago (9) e São Vicente (1). Um dos casos da Praia (Santiago) já foi considerado como recuperado da doença e o primeiro caso do país, na ilha da Boa Vista, terminou na morte do turista inglês, de 62 anos.

A nível global, a pandemia da covid-19 já provocou mais de 165 mil mortos e infetou mais de 2,3 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Com Lusa

Comentários  

0 # Pitágoras 26-04-2020 17:05
ME sempre a falhar.
Ainda a ministra está longe de acertar.Também com uma assessora arruaceira que tem não dá mais do que isso.
Responder
0 # Atento 26-04-2020 02:17
kkkk, esta é boa! Não conseguem uma organização como deve ser presencial, agora é Online kkkk! Saem com cada uma! O programa deveria chamar-se ONLINI assim como os manuaisi de MATIMÁTICA, kkkkk dava para rimar bem :).
Responder