Pub

A bancada do grupo Onda Independente para Avanço do Maio (OIAM) diz-se indignada com os Governos local e central. O motivo: o atraso na resolução do problema dos transportes para a Ilha. Porque as promessas eleitorais não estão sendo cumpridas com elevados custos financeiros e emocionais para a ilha.

Este partido da oposição municipal na ilha do Maio começa por denunciar o que considera uma "quebra de promessa por parte do Governo, no que diz respeito à periodicidade das ligações Praia/Maio/Praia pelo navio Praia d’Aguada”.

Segundo a OIAM “o referido navio não mais retornou ao Maio com a periodicidade semanal, tal como havia prometido o Executivo, e nem se vislumbra a curto prazo a data concreta para a retoma das viagens e a consequente normalização da ligação entre a capital do país e a cidade do Porto Inglês”.

A OIAM considera que a viagem inaugural do navio à ilha do Maio, que aconteceu à poucas semanas foi “um mero expediente do Executivo e da Câmara Municipal local para acalmar ânimos dos maienses e calar a boca da Deputada do partido que sustenta o Governo, que recentemente reivindicou esse navio para a ilha e se posicionou contra um eventual desvio do mesmo para outra Ilha”.

Este grupo vai mais longe e classifica a viagem inaugural de “um passeio turístico à ilha do Maio, pois os encontros realizados não levaram nada de novo". A oposição critica que depois do encontro de reflexão sobre a questão dos transportes organizados pelo Ministério da Economia e Emprego e pela Câmara Municipal, não foram ouvidas as preocupações dos empresários maienses presentes.

A OIAM considera ainda “inacreditável e inaceitável, a opção anunciada pela requalificação do porto da ilha, depois do próprio ministro da tutela ter reconhecido que existiam muitas possibilidades em cima da mesa para a construção de um novo porto na ilha do Maio".

“Ao contrário do que foi muito propalado de que a partir de agora e com a sua entrada na rota Praia/Maio/Praia a ilha estaria doravante mais bem servida, com três voos semanais, verifica-se neste momento atrasos substanciais e até mesmo cancelamentos de voos com todos os prejuízos daí advenientes para os utentes, principalmente para os emigrantes que têm que apanhar voos de ligação para o exterior”, afirma a OIAM, que reclama medidas mais eficazes do Governo.

Este grupo reclama um novo porto para a ilha, fora das emidiações da praia de Bixi Rotcha e o lançamento do concurso para a construção de uma rampa roll on roll off, que tinha sido anunciado pelo Governo para finais do passado mês de Julho.

Ligações aéreas deficentes

Os transportes aéreos também mereceram considerações deste grupo. Além de reclamar uma data exacta para a construção ou a remodelação do actual aeródromo, a OIAM está insatisfeita com o serviço prestado pela Binter Cabo Verde, que considera não ter trazido a solução necessária.

Comentários  

+1 # Daniel Carvalho 21-08-2017 13:34
Então, Karima, desde quando a OIAM se transformou em partido? Todos sabemos que a Onda Independente é uma disfarça do PAICV, mas trata-la como partido, parece que não fica bem. Mais melhor rigor na linguagem, recomenda-se.
Responder