Pub

luis filipe

 

Depois de adiar (outra vez) o início da isenção de vistos de entrada em Cabo Verde a cidadãos europeus e do Reino Unido para o mês de Maio, o Executivo quer agora liberar norte-americanos, canadianos e suiços de solicitar a autorização de entrada no arquipélago.

O Governo vai estender a isenção de vistos para os cidadãos americanos e europeus dos países fora do espaço Schengen, anunciou esta quinta-feira, 25, o ministro dos Negócios Estrangeiras e das Comunidades, Luís Filipe Tavares. O governante falava aos jornalistas no final da XX Reunião do Grupo Local de Seguimento da Parceria Especial Cabo Verde – União Europeia (UE), que se realizou esta quinta-feira na Cidade da Praia, onde a questão da isenção dos vistos para cidadãos da UE esteve em discussão.

“Nós passamos em revista tudo. Há um novo calendário porque neste momento há um conjunto de preocupações de natureza técnica que estão a ser resolvidas pelo Ministério da Administração Interna que já fixou uma nova data (Maio), por isso prestei as informações necessárias aos Estados membros da UE e à senhora embaixadora da UE”, explicou.

Luís Filipe Tavares lembrou ainda que o país está a modernizar os aeroportos, devendo o sistema de funcionamento ser alterado para se poder implementar essa medida de isenção de vistos com normalidade para os benefícios de Cabo Verde, pela via do incremento do turismo. “Com esta medida vamos aumentar significativamente a procura por Cabo Verde”, disse, acrescentando que esta medida vai ser alargada aos cidadãos americanos e dos dos países da Europa que não fazem parte da UE, como a Suíça.

“Ainda na terça-feira, num relatório produzido pelo Governo dos EUA, disseram que Cabo Verde é um país seguro. Aconselharam os americanos a visitarem Cabo Verde para turismo e nós estamos também a trabalhar para garantirmos a isenção de vistos a cidadãos americanos, aos cidadãos do Canadá e outros países europeus que não são do espaço Schengen”, precisou.

Essa medida, conforme frisou, visa a atração de investimentos directo estrangeiros para Cabo Verde no sentido de fomentar o crescimento económico, criar mais empregos para que as famílias cabo-verdianas tenham mais rendimentos.

A isenção de vistos, recorde-se, foi anunciada em Abril do ano passado pelo primeiro-ministro. Ulisses Correia e Silva disse na altura que o país estava a criar condições para isentar vistos a cidadãos europeus e do Reino Unido a partir de Maio desse ano. A ideia, segundo disse o chefe do Executivo, é "criar condições para potenciarmos ainda mais o turismo, o investimento e eliminarmos a barreira que normalmente os vistos colocam na livre circulação, mas integrado dentro de uma estratégia mais abrangente virada para a segurança das nossas fronteiras e documental, criando também condições para que sejamos integrados nas proximidades dos espaços económicos dinâmicos como é a União Europeia".

O assunto abriu um longo debate com os contestatários a reclamar a reciprocidade da medida, ou seja, que os cabo-verdianos também possam viajar para a Europa, com quem tem um Acordo de Parceria Especial, sem necessidade de visto ou, pelo menos, sem passar pela humilhação de obter uma autorização de entrada no espaço Shengen. O certo é que a medida acabou sendo adiada para Janeiro deste ano, o que não sucedeu, pois o Governo voltou a protelar o início do seu funcionamento para o mês de Maio que vem.

Com Inforpress

Comentários  

+1 # PEPETELA 26-01-2018 08:24
PARADOXO RACISTA. Os cidadões da CEDEAO, os mandjakus, vão continuar a ser retidos, maltratados, rapatriados nos aeropostos da Praia e do Mindelo, entre eles Diplomatas, altos funcionários, Membros da Direção da ECOBANK e da DHL, Investidores em trânsito ou para passar férias, Professores catedráticos (Mussa Dumbuia da Universidade de Cote d'Ivoire), grandes artistas. Entretanto as "Rebidantes", os nossos doentes, os nossos mecánicos, os nossos estudantes, o cabo-verdiano em geral circula de forma livre no espaço da CEDEAO e entretanto é humiliado para aceder a um simple visto nos países isentos de visto de entrada em Cabo Verde.
Responder
0 # NKRUMACHEKING 26-01-2018 15:43
Penso que trata-se mais de uma IGNORÂNCIA ATREVIDA do que PARADOXO RACISTA...
Responder