Pub
Por: Redacção

manuel de candinho1

Em causa, “desvios de fundos da Cultura”, “falta de diálogo” e centralismo, afirma Manuel de Candinho, que exigiu que o seu salário passe a ser usado para financiar a Cultura. Clemente Garcia reage: “talvez ele não tenha tempo (para a Câmara)”.

Pouco mais de um ano após a tomada de posse da nova equipa camarária em São Domingos, as relações entre o presidente do município, Clemente Garcia, e do vereador do pelouro da Cultura, Património e Turismo, Manual Pereira, mais conhecido por Manuel de Candinho, azedaram a ponto de o vereador pedir a sua desprofissionalização imediata.

Em carta endereçada ao presidente da Câmara, no passado dia 16 deste mês, e que Santiago Magazine teve acesso, Manuel de Candinho alega falta de meios e, sobretudo, “desvios dos objectivos para a Cultura. “O presidente sabe que é impossível implementar ideias sem que haja o mínimo de meios financeiros, por mais criativo que se seja; o presidente sabe que a Cultura ficou inviabilizada completamente com o desvio de objectivo sem prévia concertação com os vereadores para análise em relação ao protocolo com a CV Telecom, protocolo esse que eu como vereador sequer conheço”, denuncia o músico.

O protocolo a que o vereador se refere tem a ver com um suposto contrato de financiamento anual da CVT para todos os eventos culturais no concelho de São Domingos até um montante de 9 mil contos, e que a CM terá utilizado para comprar um novo autocarro de transporte escolar, entretanto, apresentado à comunicação social como sendo oferta da Telecom. “Ele sabe que a cultura não tem um centavo no Orçamento Municipal. Entretanto, tirou 6 mil contos dessa verba disponibilizada pela CVT para dinamizar a Cultura para comprar um autocarro, e sem informar a nenhum vereador. Só soube disso quando a CVT me solicitou a agenda cultural para as festas de Nhu Febreru (2 de Fevereiro) dizendo que têm um protocolo com a Câmara em como essa empresa é patrocinadora oficial de todos os eventos culturais em São Domingos”, explica o vereador ao Santiago Magazine, notando que “há toda uma jogada para prejudicar São Domingos”.

Manuel de Candinho acusa Clemente Garcia de querer centralizar tudo e desconfiar de tudo. “Veja, enquanto vereador da Cultura marquei audiência com com o primeiro-ministro, há duas semanas, para lhe expor os meus projectos culturais para o concelho, a ver se conseguimos outras formas de financiamento. Só que ele (presidente da CM) ficou irritado porque, eventualmente, pensou que fui fazer queixinhas. Decidiu então reunir de urgência os vereadores para me dizer à frente de todos que não podia ter feito aquilo sem o informar e, mais grave, que estou na Câmara sem fazer nada, quando ele é que não me dá condições e nem permite que busque parceiros por minha conta e risco”.

E acrescenta: “se não há verba para a Cultura e todos os meus projectos não passam ao crivo do senhor presidente que acha inclusive que estou na Câmara sem fazer nada, então não se justifica a minha profissionalização como vereador”. Aliás, já na carta a pedir a sua desprofissionalização, Manuel de Candinho sugere que o seu salário seja aplicado para financiar a Cultura no município. “Já que não há meios para a dinâmica cultural, não justifica a minha profissionalização enquanto vereador. Peço, encarecidamente, que o valor gasto comigo enquanto vereador a tempo inteiro seja reservado ou revertido às actividades culturais e no apoio às boas propostas que os jovens e os demais munícipes vem trazendo”, anotou na missiva.

Pelo menos o pedido de desprofissionalização já foi aceite pelo presidente da Câmara, através de um despacho com data de 18 de Janeiro. No mesmo documento, Clemente Garcia informa que o Pelouro da Cultura, Património e Turismo, antes a cargo de Manuel de Candinho, passem, a partir de 1 de Fevereiro para o vereador Américo Lima, em acumulação com o de Assuntos Administrativos, Finanças, Oficina, saneamento e Desporto.

“Ou seja, eu pedi apenas a desprofissionalização, entretanto o presidente sozinho, isto é, sem ouvir a Assembleia Municipal, decide retirar-me pastas. Quer dizer que sou vereador sem nenhum Pelouro e, eventualmente, sem assento nas reuniões da Câmara”, ironiza.

Contactado por Santiago Magazine, Clemente Garcia, que está em Portugal, prometeu falar sobre o assunto quando regressar. Ainda assim deu tempo para confirmar que o vereador é que pediu a sua desprofissionalização e, ao mesmo tempo, desmentir Manuel de Candinho. “Não houve nenhum desvio (de objectivos para a cultura). Talvez ele não tenha tempo e podes comprovar”, atirou, aludindo, supostamente, ao facto de o vereador ser um dos elementos do grupo musical Bulimundo e estar muitas vezes em digressões pelo mundo, além de actuar em concertos pessoais no país e no estrangeiro.

Comentários  

+1 # Luís Moreno 12-02-2018 22:33
O que eu acho estranho é que, se Manuel de Candinho não tem tempo para dar uma boa resposta ao pelouro da Cultura, Património e Turísmo, muito menos o vereador Américo Lima, consegue acumular com Assuntos Administrativos, Finanças, Oficina, saneamento, Desporto e dar resposta positiva. Como é possível um único funcionário com tantos cargos, só os super cabo-verdianos. Quando assim é, nada mas, mesmo nada funciona em condições normais!
Responder
+1 # FONTE BILA 29-01-2018 14:32
A SAIDA DE MANUEL DE CANDINHO DA CAMARA DE SÃO DOMINGOS É UMA GRANDE PERDA PARA O FUTURO DA CULTURA DO MUNICIPIO O 1º MINISTRO DEVIA INTERVIR PARA SALVAR SÃO DOMINGOS MESMO QUE MANUEL NÃO TENHA TEMPO O QUE NÃO É VERDADE A PRESENÇA DE MANUEL DE CANDINHO UM MÊS DÁ PARA FAZER MUITO PARA A CULTURA, É PENA QUE O SR PRESIDENTE DA CAMARA NÃO TEM NOÇÃO DA GRANDEZA CULTURAL DE UM DOS NOMES MAIORES DA NOSSA MUSICA.
Responder
+3 # Paulo Tavares 27-01-2018 13:39
Povo de São Domingos nhos ki sta na Cabo Verde nhos flam presidente Clemente Garcia ma Director de Gabinete me pe sta na Gabinete ou seja na câmara pe auxilia vereadores e equipa camarária principalmente horas ki presidente cá Sta . Nes momento li Martin Director de Gabinete sta na Portugal ta bebi vinho de Porto e Clemente ta bebe sumo Lisboa Ná custa povos de São Domingos. Nhos fazem intende pmd ki clemente tem ki carrega Martin na costa Moda tiracol pa tudo banda ke ta bai . Ca ten nenhum lugar ki Clemente sta bai ke ca ta leba Martin djuntu cual. Afinal Martin e cuze nton? E di Keli ki povo ta comessa discunfia ta comessa ruedo. Clemente djobi só canto ki Bu sta gasta a toa cu Martin Na viagem cu hotel passagem alimentação e ajuda de custo. De[censurado]dos de bancada de MPD e PAICV nhos ca gosta pidi conta a presidente mas des bes favor nhos pidi presidente tudo factura gasto nes viagem li. Ami propi in ca sabi cuze ki Clemente tanto tem na Portugal ke ta bai la tudo hora. Câmara de Lowel de Boston tem germinason cu câmara de São Domingos pmd ki Bu ca ta bai la tambe? E so PT?
Responder
+1 # Fidju tera 29-01-2018 09:06
Paulo Tavares ka podi staba más sertu. Si fidjus di S.Domingos ka ta sirbi, Clemente tem ki sirbi di fidju di fora. Si Clemente aproveitaba kada viaji pé leba un vereador, pa ki ka fika so el a sprumenta viaja y tem novu vizon, é sinal mé ka ta kunfia na si propi vereadoris. Isu ta demonstra centralismo ou interessis otus ki ka di Kanbra. Mesmu ki Martan vivi 4o anu na imigrason, ka ta konferil direitu di tra vizibilidadi a un equipa ileitu pa povu di S. Domingos. Dés bés nhu tem ki presta konta Clemente!
Responder
+1 # Naldinho Freire/BR 26-01-2018 15:16
Grande músico e ativista cultural Manuel di Candinho
Aqui declaro o meu respeito ao seu trabalho não só em prol das artes produzidas em São Domingos, mas em Cabo Verde.
Lembro-me que lhe conheci em 2008, ainda estavas em Rotterdam, e durante esses anos, em diálogo conosco aqui no Brasil o seu objeto não é pessoal e sim coletivo. Siga firme em sua militância, para atuarmos em prol da cultura dos nossos países temos outras ferramentas que vão além a um cargo de vereador da cultura. Estamos juntos meu irmão!
Responder
+1 # carla soares 25-01-2018 18:36
Nunca é devia staba la. Bulimundo dja tchigaba el. Mania ki Nu tem na cabo Verde de confundi cusas. El é artista e aí? Só por isso é ta daba bom Vereador. Vereador é politico e tem de ser. se ka for ka meste nem bai. Pa lugar de kela nton ta podo um Diretor de gabinete especialista tarebde muto mas.
Ke alguem ki sta reclama presidente meste antes de mas lê Estatuto de Municipios. Presidente tem tudo poder pe da ou pe tra poder. Antes de nhos fazi comentários nhos le lei primeiro.
Pa que nhos a perde tempo sta li pa kes ignorante ki ta fala cusas sem sabe:
"Artigo 100º
(Distribuição de funções)
1. O Presidente da Câmara Municipal será coadjuvado no exercício das suas funções
pelos Vereadores, podendo incumbi-los de tarefas ou áreas especifi cas de actuação não
integradas em pelouros e, quando em regime de permanência, da supervisão e coordenação
directa de serviços municipais."
ka sta la nada ta fla ma el é obrigado distribui pelouro. Se cre é pode fica ku tuido es. ka ta fica nada bem claro mas é pode. Nhos dexa campanha pa 2021 nhos foca na da opinião construtivas si realmente nhos ta ama são domingos.
Responder
+2 # Caty Lopes 25-01-2018 18:12
O Manuel de Candinho, devia saber que os dirigentes do MpD não são democratas, por serem autênticos ditadores, pelo que o Dr. Clemente Garcia, não podia fugir a regra.
Responder
+4 # Renato Frederico 25-01-2018 17:20
Triste a sina do meu Concelho. Manel é mais um que vai engrossar a lista dos quadros exportados (este expurgado). Se os Vereadores não têm voz durante uma sessão da Assembleia Municipal, onde se discutiu o orçamento municipal, duvido que tenham alguma ideia do que é pertencer a uma equipa, mesmo que de balizinha. Espero que a redistribuição dos pelouros traga autonomia aos responsáveis pois constata-se uma opacidade quanto ao desempenho da equipa no seu todo. Estamos nas vésperas de Febreru e bem perto do 13 de Março mas não se sente qualquer movimentação no Concelho que é prenhe de ingredientes culturais.
Responder
+2 # Paula Mendonça 25-01-2018 17:08
So la. Sem djobi pa lado. São Domingos gosta de apanhar!
Por isso vai apanhando.
Responder
+2 # Txixa 25-01-2018 15:30
Ah SD paxenxa. Sai um entra oto maz pior inda. Arrogância ou insegurança poi Clemente skodje um equipa de fantoxes pe manda moda é cre. SD ki sta paga. Ka tem um vereador em condições. Duedu pa conta. 2020 si ka faze um equipa a sério é pa pol na rua.
Responder
+4 # Zé Totinho 25-01-2018 15:05
Meu estimado amigo, Manuel de Candinho, um bom artista não se dá bem no meio político. Crie o seu grupo e dê espectáculos, que a gente de fina sensibilidade e Cabo Verde agradecem. A música é uma arte e é uma ciência, mas na política dois e dois nunca são quatro e jamais serão. Artistas a fazerem-se de políticos é muito complicado. Se ao menos fosse para o cargo de Ministro de Cultura, ainda podias triunfar, porque aí, por aquilo que temos vindo a assistir, não há nada para fazer, além de distribuir dinheiro aos carnavais, com grave violação da Constituição da República, discriminando os cabo-verdianos, entre os de primeira e os de terceira. Tudo em função das simpatias pessoais do titular da pasta, que não presta contas a uma parte do povo, que curiosamente é o seu patronato. E como quem devia chamar à pedra este tipo de comportamentos não faz nada, estamos entregues ao bicho. É basta ter um bom paleio para pôr os bois a dormir. E ademais, a política é palco de péssimo teatro, não gosta da verdade e prefere jogos e palavreados fúteis. Por isso, muito pouca gente leva a actividade política com seriedade e responsabilidade.
Responder
+4 # Edmilson Landim 25-01-2018 09:19
Dr. Clemente Garcia (te modi gossi bu cre pa txomau so Doutor Clemente). cada bes ki bu studa mas bu sta vira menos inteligente. O vereador pedeu somente a desprofissionalização e não a retirada das pastas. Poderias dar ao Sr. Américo 50 pastas, não iria surtir nenhum efeito, uma vez que os vereadores da Câmara Municipal de Sao Domingos são apenas um pau mandado do Sr. Presidente, alias do Sr. Doutor presidente . Eles não tem autonomia nem iniciativa própria, só fazem o que o Sr. manda. E mesmo Sr. Almerico com uma unica pasta , ele não faria absolutamente nada. Se você mandar um vereador partir a janela de um carro de certeza que ele acataria as suas ordens, porque são pessoas sem competências e sem ideias como o senhor. O Doutor(com D minuscula) Clemente Garcia, acha e pensa que ele e o dono e senhor de conhecimento. Tira os compitente da camara e coloca os incompitentes. Ouvi dizer que a Chefia da Oficina de Variante esta nas maos de um tal sobrinho do presidente, o Nene de Chepinha, quer dizer que ele esta a chefiar o Dilo de Nanda e Caca de Nha Ina. (uiiiiiiiii dja dam so gana riiiii). o nome poderia ser Clemente Garcia o Douto da Ignorancia, cabia-lhe bem
Responder
0 # Carla Sousa 25-01-2018 21:15
Por esta e por outras que a politica em Cabo Verde é o que é. As pessoas limitam se a diz que me diz.
O Sr. Vereador podia ser mais verdadeiro e assumir que foi desprofissionalizado sim e nao pediu a desprofissionalizacao. Alias se ele fosse tão contra o Presidente e seus desmandos podia usar outroa mecanismos diapostoa no Estatuto dos Municipios para se disvinvular da Camara. Mas a senha de presença faz falta né?
O Senhor devia antes de fazer os seus comentarios ler o Estatuto dos municipios e dos eleitos municipais. De certeza entenderia que o Prwsidente tem toda legitimidade em tirar pastas aos vereadores. Leia o artigo 100° do Estatuto dos municipios vai retirar com certeza tudo que disse. Pelos vistos o Clemente estuda demais mas o Senhor estuda de menos.
Responder
+4 # Oscar David 25-01-2018 13:19
Afinal Vereador ta cria trabadjaba e fazeba algo pa Sao Domingos, nton presidente ki ca dal condiçoes pe trabadja. Kes presidente autoritario la es ta pensa ma povo ca sta odjas manente, de li 2 ano es ta bem cu sorriso pes bem ingana nos idiota de novo. Sao Domingos nhos abri odju. Flado me sta la portugal na roda torta a direita na nos custa.
Responder