Pub

Numa carta dirigida aos munícipes, Carlos Alberto Silva informa que está a dialogar com o Governo no sentido de conseguir parcerias para a construção de um porto comercial em Pedra Badejo. 

A visão do presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz é transformar o seu concelho “num centro logístico e mercado abastecedor no domínio das pescas e do agronegócio na região norte de Santiago”, alavancando assim as “potencialidades agrícolas, pecuárias, pescatórias, comerciais e turísticas da ilha de Santiago”. 

Por outro lado, o porto comercial de Santa Cruz poderá albergar toda a logística de pesca da ilha de Santiago, descongestionando o porto da Praia, a braços com sérios problemas para responder à demanda comercial da ilha mais populosa de Cabo Verde, para além do Fogo, Brava e Maio, defende o edil Santacruzense. 

Eis a carta assinada por Carlos Alberto Silva.

Caros Munícipes

O nosso concelho é portador de grandes extensões rurais, divididas por vales hidráulicas férteis e produtivas, que são importantes parcelas do território municipal a braços com constrangimentos comunicacionais, sobretudo estradas para escoamento de produtos agrícolas e transportes de pessoas e outros bens comerciais e de consumo.

Neste contexto, desde a primeira hora, elegemos a construção de estradas de penetração como uma das grandes prioridades da nossa plataforma de governação, sendo esta a primeira saída para a capacitação das nossas bacias hidrográficas, enquanto celeiros de Santiago e de Cabo Verde. Esta visão começou já a dar os seus primeiros frutos, com a construção da estrada da Ribeira dos Picos, cujas obras devem arrancar em 2018. O processo já está preparado para que assim seja.

Neste momento, a cidade de Pedra Badejo está a passar por uma grande transformação urbana, sobretudo no domínio da organização, do planeamento, dos arruamentos e da administração do trânsito e do comércio. Estas acções não são isoladas, antes se inscrevem numa visão mais abrangente que inclui o desenvolvimento das potencialidades turísticas do nosso concelho, situado a meio caminho entre Praia e Tarrafal, os dois pontos urbanos e turísticos mais importantes da ilha de Santiago. Porque o nosso concelho possui Zonas de Desenvolvimento Turístico Integrado de grande valor acrescentado no contexto da Região de Santiago Norte, que, incrementadas com a localização geográfica do nosso concelho, numa mistura exótica entre o litoral, o urbano e o rural, bem como com as suas potencialidades agrícolas e pecuárias, acabam nos conferindo particularidades únicas em Santiago e em Cabo Verde

Santa Cruz é o concelho potencialmente mais rico da região Santiago Norte. No domínio da agricultura e da pecuária é seguramente o concelho que melhores condições oferece para ser um centro logístico de transformação, abastecimento, comércio e transporte de produtos agrícolas e animais. O nosso concelho é o único em Cabo Verde que possui condições naturais para ser o HUB DO AGRONEGOCIO, sendo o centro potenciador de toda a dinâmica produtiva da região Santiago Norte, estatuto que já desempenhou no passado, nas devidas proporções do tempo e do espaço.

Com efeito, na década de 80 e início de 90, o nosso concelho albergou o maior complexo agro-industrial de Cabo Verde – a empresa Justino Lopes. Esta empresa vinha de trás, da época colonial, quando era a Sacofil, vocacionada para a produção e exportação da banana. Quis o destino que este grande complexo agrícola e industrial de Santa Cruz fechasse as portas, no decurso da década de 90, empurrando muitos Santacruzenses para o desemprego e para a pobreza.

No entanto, fruto de uma aturada e sábia luta junto do Governo e outros parceiros, o nosso concelho vai ter o seu complexo agro-industrial recuperado e novamente operacional num futuro próximo. É o renascer da esperança e a potenciação das nossas vantagens comparativas em vantagens competitivas, no quadro das grandes opções do processo de desenvolvimento de Cabo Verde.

O processo de desenvolvimento de Santiago e de Cabo Verde passa, necessariamente, por programas de industrialização agrícola e pecuária, e Santa Cruz está aqui para servir de plataforma na materialização desta visão.

E é neste contexto que a Câmara Municipal que eu lidero está a negociar com o Governo no sentido de o nosso concelho albergar e promover cursos profissionais em domínios como a pesca, agricultura e pecuária.

Esta visão acaba sendo complementada com a proposta de Santa Cruz albergar um banco de crédito agrícola, vocacionado não só para financiar os agricultores e criadores de gado e demais investidores na transformação, transporte e comércio de produtos, mas também prestar assessoria financeira na gestão e aplicação de fundos financeiros.

Caros munícipes,

Esta visão e estas potencialidades todas que o nosso concelho possui na região Santiago Norte e em Cabo Verde, no seu todo, podem e devem ser trabalhadas para que possam traduzir em mais emprego, mais negócio, mais oportunidade e mais coesão social.

Neste contexto, a Câmara Municipal que lidero já iniciou um diálogo frutífero com o Governo no sentido de Pedra Badejo ser contemplada com um porto comercial. O porto comercial de Pedra Badejo seria uma infraestrutura fundamental na materialização e transformação das potencialidades agrícolas, pecuárias, piscatórias e turísticas de Santa Cruz e de toda a região de Santiago Norte em riquezas palpáveis e traduzidas em mais emprego, mais rendimento, mais investimentos e melhor qualidade de vida.

O porto comercial de Pedra Badejo iria promover a visão de Santa Cruz enquanto centro logístico e mercado abastecedor da região norte de Santiago, sempre com os olhos postos no desenvolvimento comercial e turístico do país. Não pode haver desenvolvimento sem produção, sem investimento e sem mercado.

E hoje Cabo Verde conta com um mercado turístico potencial que pode ser uma alavanca fortíssima neste processo que o nosso concelho está aqui a alinhavar.

A cidade de Pedra Badejo é o ponto urbano da ilha de Santiago mais próximo da ilha do Maio, mas também da ilha da Boa Vista e Sal, três ilhas com forte vocação turística e um grande mercado potencial de tudo o que é produzido em Santiago Norte. Assim, o porto comercial de Pedra Badejo estaria a potencializar a indústria agrícola e pesqueira desenvolvida em Santa Cruz e em toda a região de Santiago Norte, abastecendo de forma regular o mercado turístico da Boa Vista, Sal e Maio. 

Santiago, particularmente Santiago Norte, possui um grande potencial no domínio do turismo da montanha, da natureza e do ecoturismo em geral.

O porto comercial de Pedra Badejo será a bússola que conduziria o turismo de sol e praia destas ilhas (Sal, Boa Vista e Maio) para Santiago, diversificando as ofertas turísticas aos visitantes com os encantos das montanhas e vales dos concelhos de Santiago Norte.

Por outro lado, Santa Cruz está localizado a 20 minutos da cidade da Praia, que é o maior mercado de Cabo Verde, bem como o porto da Praia, a segunda maior infraestrutura portuária do país, e onde se movimenta mais de 70 por cento do volume comercial nacional, o que tem criado recorrentes situações de estrangulamento e congestionamento.

Neste contexto, o porto comercial de Pedra Badejo pode perfeitamente assumir toda a logística pesqueira, descongestionando assim o porto da Praia. A transferência da logística pesqueira para Santa Cruz seria uma grande aposta, sobretudo tendo em conta que os principais mercados internos seriam o mercado turístico.

Estes são os meus e os vossos sonhos, caros munícipes! O sonho de Santa Cruz e de Santiago Norte. E temos que juntar as mãos para tornar os nossos sonhos uma realidade.

2018 vai ser o ano de mudanças. O ano da promoção do nosso autoestima. Do meu autoestima e do vosso autoestima. Para mudarmos a mentalidade assistencialista que nos tem aprisionado até aqui, e olharmos mais à frente. O ano para entendermos que não somos pobres, mas que estamos pobres. O ano para entendermos que precisamos deixar a pobreza, porque temos riquezas que estão nas nossas mãos, ao nosso dispor, e que juntos podemos transformá-las em mais desenvolvimento, mais qualidade de vida e mais coesão social. 

Eu e você não podemos aceitar que as nossas famílias continuem com problemas de habitação, de desemprego e falta de recursos para comprar bens essenciais. Por isso vamos juntar as mãos numa parceria e cumplicidade saudáveis, para o nosso concelho, para a nossa terra.

Não posso terminar sem vos agradecer pessoalmente, pelo apoio, pela confiança e pela parceria que vocês dispensaram e continuam a dispensar à Câmara Municipal que lidero.

Não posso terminar também sem agradecer o Governo de Cabo Verde, pela abertura, pelo diálogo franco e pela visão partilhada.

Feliz 2018 a todos.

Carlos Alberto Silva

Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz

Comentários  

0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 30-12-2017 20:00
Tem todo o nosso apoio, meu caro presidente. Uma boa visão para Santa Cruz, Santiago-Norte, Santiago e Cabo Verde. Deve compartilhar essas ideias com os seus homólogos de Santiago-Norte e de Santiago-Sul e socializá-las a nível nacional. Nós defendemos a construção de um porto comercial em Santa Cruz e a deslocação do actual porto da pesca da Praia para o Tarrafal (cidade de Mángui). Defendemos também, intransigentemente, duas ESCOLAS DO MAR para a Ilha de Santiago: uma sediada na Cidade da Praia (Santiago-Sul) e outra sediada na cidade de Mángui (Santiago-Norte). Tudo isso para impulsionar a ECONOMIA MARÍTIMA em Santiago e alavancar a economia da ilha toda e, em especial a de Santiago Norte, ao lado do HUB DE AGRONEGÓCIO com o epicentro em SANTA CRUZ e do futuro HUB MARÍTIMO E AÉREO na CIDADE DA PRAIA. Só assim, SANTIAGO, A GRANDE ILHA, vai conhecer definitivamente o desenvolvimento pleno, em termos económicos, sociais, académicos, culturais e turísticos. E só assim, também, se desenvolve Cabo Verde.
Responder
0 # Moises Leão 29-12-2017 22:47
Muito bem pensando assim haverá desenvolvimento.
Responder