Pub
Por: Neltor Lobo

Neltor Lobo

Um país independente há cerca de 45 anos estando entrosado com o mundo moderno e desenvolvido em que vivemos, ás vezes parece que está demasiado atrasado numas e outras situações.

Mesmo com os 15 anos do Governo do Dr José Maria Das Neves em plena era moderna não compreendo porque esta opção/possibilidade nunca fora constatada e enunciada.

Também, nem agora no mandado do Dr José Ulisses Correia e Silva, principalmente através do Ministro das Finanças considerado um economista moderno, capacitado e um homem com bastante visão, quem durante esse mandato é considerado o “Sassá Mutema” – o Salvador da Pátria. Pois a sua atuação após 3 ou 4 anos consecutivos em que fomos e estamos a ser fustigados pela seca, mesmo assim conseguiu manter o índice do PIB nacional num nível bastante satisfatório, e agora com a Pandemia Covid-19 tem-se revelado boa capacidade de resposta e os planos enunciados por ele serem bastante prometedores.

Ora, a carta de condução é uma licença para conduzir um veículo a motor. E como toda licença, ela também é susceptível de renovação como a maioria das diferentes licenças que integram o corpo administrativo do nosso país. Essa sua renovação está prevista no nosso país!

Salvo o devido respeito pelos anteriores e atuais governantes, ela está descontextualizada, desatualizada com o mundo em que vivemos.

Á título de exemplo vou utilizar a minha só para vos demonstrar o absurdo em que ela foi e ainda está regulamentada: a minha carta de condução foi reemitida em 17 de Maio de 2010, quando passamos de livrete papel para cartão tipo os cartões bancários (cartão multibanco); a sua data de validade, ou seja, posso utilizá-la em condições normais, salvo algumas exceções na Lei até o dia 17 de Dezembro de 2047!

Um autêntico absurdo!

Ora, eu paguei uma pequena quantia no ano de 2010 relativamente à uma licença em que me dá o direito de usufruir da mesma por consecutivos e ininterruptos 37 anos!

Isso põe em causa a minha própria segurança e as dos sujeitos que fazem parte do trânsito rodoviário! Nomeadamente não há forma de confirmar se a minha visão se deteriorou durante esses largos anos, ou também se adquiri ou descobri que sofro de alguma doença que afete a minha capacidade de manejar um veiculo a motor, etc etc. Há “n”de situações possíveis que podem sofrer alterações de acordo com o passar do tempo durante 30.

Mas o objetivo do meu artigo não é esse que acabei de expor, e que também é deveras muito importante.

Será que os nossos políticos não viajam? Não estão familiarizados com algumas práticas administrativas de alguns países modernos?

Eu sei que estão! Porque nos copiamos/plagiamos em alguns países, nada contra! Pois somos um país jovem e o que é de positivo e se tiver utilidade é para se copiar: isso faz parte do desenvolvimento.

Mas será que não vêm essa possibilidade como fonte geradora de receitas?

Por exemplo, nos EUA toda pessoa portadora de carta de condução (portanto nada mais que uma licença como varias outras), está obrigada a renová-la a cada 2 anos perante o pagamento de uma quantia/taxa!

Ao fazer tal procedimento terá automaticamente a licença de conduzir por mais 2 anos, e assim sucessivamente, salvo algum impedimento legal ou físico (saúde) constatado.

E essa estipulação pelas autoridades é uma autêntica fonte geradora de receitas.

Será que Cabo Verde é um país rico que não necessita de criar receitas? Ainda mais em plena crise financeira que continuará mesmo após esta pandemia e que ainda trará mais consequências negativas! Receitas essas que servem para a manutenção das estradas e várias outras estruturas rodoviárias. E que poderão ser perfeitamente direcionadas e aplicadas em outras áreas conforme for o programa politico e administrativo de quem estiver a governar.

Caros deputados e governantes, isto é uma possibilidade também uma ferramenta legal que vocês podem e devem começar a pensar a analisar futuramente e a tornar Lei!

Tudo o que pode fazer o nosso Cabo Verde ser uma terra mais desenvolvida e atualizada deve ser sempre benvindo!

Comentários  

+2 # Carlos 21-07-2020 12:05
Caro Neltor,

O carnaval ja passou. Como diz outro comentador descobriste a polvora. Cabeca de areia...Fiz a carta no Reino Unido e tem uma validade de 31 anos. Nao vou alongar, porque o Jose Barbosa ja disse tudo.

Cresca e apareca.
Abraco.
Responder
+3 # Jose Barbosa 21-07-2020 01:59
Neltor,

Chamo-te pelo primeiro nome para nao apelidar-te de algo mais colorido. Verdade que documentos de que falas devem ser renovados por razoes diversas incluindo seguranca publica. Contudo sugerir que as cartas de conducao sejam renovadas com uma periodicidade de 2 anos é a sugestao mais estupida e aberrante que tenho visto ate agora. Dizer que nos Estados Unidos as mesmas sao renovadas cada dois anos deve ser nos teus pesadelos pois nao nesse EEUU onde vivo. A minha tem validade de 10 anos. Nao é a primeira vez que quadros novatos em busca de tachos, lambe botas sugerem asneiras do tipo o que desgraçadamente as vezes faz eco porque o governo, principalmente esses pobres e corruptos, com elementos ricos no seu elenco, avido pelo dinheiro dum povo passivo e submissivo nao desperdicam oportunidades do tipo principalmente quando sugerido por individuos da tua laia, bajuladores lambe botas. Ate da nojo o que li neste panfleto. Uma da mesma laia fez algo similar que ate pegou pelas mesmas razoes que apontei depois de servico feito foi corrida porque de facto nao servia para nada senao aproveitar dessas baixesas para subir no escalao profissional. Felizmente, a bendicao mesmo que tarde chega sempre. Quiede-se rapaz e pensa com a cabeça e tente subir na vida profissional com merito sem bajulacao idiota.
Responder
0 # N.Lobo 21-07-2020 15:47
Acho que em nenhum momento sugeri que a renovacao em CV seja feita de 2 em 2 anos; apenas utilizei o exemplo de um país comparando com o nosso, que na minha opiniao é muito extenso!Porém, é uma interpretacao gramatical, a qual revelaste ligeira incapacaidade para tal; E tb nao sou quadro novato, licenciei-me em 2005, podes fazer as contas, isso claro se souberes; e a minha profissao (advocacia) é uma profissao liberal e nao estou em busca de nada, ate porque há cerca de uma decada que decidi viver no estrangeiro, praticando a minha profissao á distancia quando as circunstancias assim permitirem; há um ditado mais ou menos assim: "quem nao tem argumentos, defende-se com ofensas"! Contudo, nao vou baixar o nivel como alguns como todos os leitores podem comprovar...
Responder
+2 # Jose Barbosa 21-07-2020 17:49
Sugerir algo e apresentar exemplo concreto ainda que com informacao errada como neste caso é forma subtil de induzir a que seja feito algo parecido. Obrigado por mencionar apenas ligeira e nao total incapacidade... e oh sim sei fazer contas, quinze anos numa profissao liberal se nao for bem sucedido, muito provavel que queira um cheirinho ou uma maozinha dos que estao no poder. Quem sabe uma avença para o efeito etc. O que sugeristes aos membros do governo nesse teu ponto de vista e pouco comum e geralmente vem de individuos que nao veem meios para agradar os que estao no poder e assim conseguir um tacho. Digo com base na minha experiencia vivida em varias latitudes. Nao creio estar errado. Conheço o cheiro de estrume
Responder
-1 # N. Lobo 22-07-2020 01:42
Enfim, argumentas com ofensas descabidas, nada de convincente de sua parte; não sei em que Estado estás a querer referir, mas no Estado em que vivo após ter vindo de um outro , estou na minha segunda renovação e ambos com períodos de 2 anos; agora, sobre insinuar eu querer/buscar uma avença, não sei se tú sabes mas o s contratos de avenças (prestação de serviço) requer uma certa presença física no país em que situa a sede da empresa ou organismo que solicita os teus serviços, apesar de teres algumas regalias como isenção de horário etc; e eu, como muitos outros, optei por vir viver num país que te oferece outras possibilidades e tem mais potencialidades, portanto o teu ataque insinuando tal despropósito morre por aqui; mas como disseste bem, conheces o cheiro de estrume devido à sua experiência de vida e só quem pertence e está acostumado à uma determinada classe é que sente esse cheiro, embora por vezes possa se enganar, como é de facto esse meu caso!
Responder
+1 # Manel de Kreka 21-07-2020 00:26
Neltor Lobo, uma coisa é preocupação com a segurança pública e mesmo assim o Sr. Tem de ver que uma pessoa com problemas nas vista vai ao médico oftalmologista e não vai por a sua vida em risco...se tiver outro problema de saúde vai ao médico...as pessoas são cidadãos responsaveis...agora veja que quem tem viatura paga seguros,paga gasolina o mes inteiro,paga manutenção qdo vai ao mecanico,paga para trocar oleo,trocar bateria,pastilha,rodas...paga imposto de circulação e ainda o Sr. Quer que se pague taxa de renovação de carta de condução? O Sr. Calado é um grande poéta!Sabemos que tem condicões para escrever algo muito melhor do que isso...
Responder
+2 # N.Lobo 21-07-2020 15:59
Sr Manel de Kreka, quando os cidadaos renovam os seus bilhetes de identidades ficam sujeitos ao pagamento de uma taxa, correcto? E porque nao aplicar essa mesma medida, porém devidamente adaptada ás cartas de conducao? Que como sabemos a fisionomia das pessoas mudam de acordo com o tempo e em que a nossa imagem (fotografia) necessita de ser atualizada!Sabes a percentagem de falsificacoes relativamente ás cartas de conducao? Ou uma pessoa nao detentora de carta de conducao que utiliza de seu irmao,primo, vizinho, e quando confrontada num operacao stop pela policia e alega em que se trata de mesma pessoa mas que a fotografia foi tirada há alguns anos atrás? Ás vezes escolhemos o caminho de ofensas, motivadas por motivos pessoais, profissionais, sei lá, mas neste caso tb eu vou optar pela educacao e nao lhe responder!
Responder
+2 # Alexandre 20-07-2020 20:19
Coitados dos Cabo-verdianos. Maioria tira a carta de condução para complemento do seu curriculum, para mais facilmente arranjarem trabalho. Maioria nunca conduziu nem vai ter um carro na sua vida. Imaginem ter de pagar 2 em 2 anos a renovação da carta de condução.
Responder
+1 # Luiz Silva 20-07-2020 18:43
Acontece que o passaporte nas Embaixadas de Cabo Verde no exterior custa 60 euros e é valido por cinco anos. O emigrante é obrigado a perder , devido a localização das Embaixadas, um ou dois dias de trabalho. Sugiro que os passaportes tenham a validade de dez anos como acontece com os cidadaos europeus mesmo que se tenha de aumentar o preço. Tanto o Estado como o emigrante sairiam a ganhar .
Responder
+3 # Terra terra 20-07-2020 18:13
Muito bem, Neitor Lobo! Voce inventou a polvora! Grande inovador!
Afinal, voce pensa na seguranca das pessoas ou na falta que o dinheiro dos impostos faz? Nesta crise da Pandemia, voce propoe impostos sobre a carta de conducao: E os portadores dessas cartas nao estao vivendo em crise?
Tem nocao de quanto os portadores de cartas de conducao e/ou proprietarios de viaturas pagam anualmente sob diversas formas de impostos ou taxas? Nao tem nocao de que pais fala?
Voce como economista e um bom servente fe obra!
Consegue chupar cana e assobiar ao mesmo tempo? Ou prefere chupar limao mesmo? Vai te catar, rapaz!
Responder
-1 # pedro 20-07-2020 17:56
Perfeito. Qualificado. Pertinente.
Responder