Pub

 

Todos nós vivemos e vivenciamos realidades jamais previstas pelo nosso consciente. Reservas psíquicas e emocionais que se esgotam diante das inóspitas gotas anelantes. Turbulências aflitivas que assolam a nossa vida, perturbando o nosso bem-estar emocional.

O importante e necessário é estabelecer um discernimento claro sobre a natureza dos incidentes, fazer um holístico inventário das nossas forças e nunca perder a capacidade de vislumbrar uma luz no fim do túnel.

O desespero nunca é aliado da superação e da resiliência triunfante. Quando perdemos a esperança a mudança radiante se torna cada vez mais distante e a dor se intensifica.

O fundo do poço é quando tudo parece perdido, quando ninguém nos ajuda, quando perdemos o senso direcional, quando a vida reflete o desespero e lágrimas.

É a realidade de muitos em nossa sociedade. Uma das dores mais íntimas e antagônicas que vem assolando a nossa sociedade é a depressão, acompanhada de esquizofrenia e bipolaridade. Sombras negras que pairam sobre a alma existencial do indivíduo.

O que fazer quando perdemos o norte? Quando tudo parece sem resposta? Quando o silêncio fala a linguagem ativa e persuasiva da negatividade?

São perguntas que nos interpelam quando deparamos com as realidades mais sombrias e tenebrosas. Um poder para além da nossa própria cosmovisão cultural e intelectual, que ultrapassa a dimensão cognitiva, disponível nos bastidores, serve como resposta para nos acalentar em fases inquietantes e perturbadoras. Entregar os pontos não será a resposta determinante, o necessário é restabelecer as forças e prosseguir esperando em dias melhores.

Comentários  

0 # Pipilita 05-06-2018 16:23
Super Samilo, ta skrebi sobre kuzas ki realmenti mesti nos atenson! Talvez komparason devia Ser entri CV e Brasil pamodi es 2 terras sata semelha na txeu Lucas. Exemplos uns ta subi kada vez mas outrus rostu baxu ki é propi prigu. Si bu sai na rua na CV ku um saku di honestidadi bu ta Ser mortu pamodi falta di seguransa, mas si for un saku di dinheru é propi bandidus ki ta protejeu, ka importa di undi bu sai kel dinheru. Nu kriadu rabez desdi pikinoti
Responder
0 # Gonçalo Amarante 02-06-2018 13:32
O fundo do poço é quando tudo parece perdido, quando ninguém nos ajuda, quando perdemos o senso direcional, quando a vida reflete o desespero e lágrimas"
Acertou em cheio: O nosso Cabo Verde está mesmo no fundo do poço. Parabéns pelo artigo!
Responder