Pub

...e lhe deram presentes: ouro, incenso e mirra (Mateus 2:11b)

Presentes lembram alegria, festa e pessoas. Natal, Páscoa, aniversários, homenagens, datas especiais... As crianças não perdoam: exigem seus presentes e ainda enfatizam : “Você prometeu!”, como se a pior coisa que pudesse acontecer seria não ganhar o tal mimo. Elas não consideram o seu valor financeiro, quanto é preciso trabalhar para conseguir pagá-lo: para elas o importante é ganhar”! e o papel de embrulho, então! Se não estiver embalado em um papel bonito, quase perde a graça. São detalhes que para os adultos não fazem tanta diferença.

Os adultos olham os presentes com outros olhos: são induzidos a considerar o seu valor como equivalente à importância da pessoa. É o que a publicidade tenta ensinar, e o comércio, visando lucrar, promove todos os tipos de oportunidades para fazer as pessoas “ presentearem” umas às outras.

Quando nasceu, Jesus ganhou presentes. Pedro e João  expressaram seu amor cristão a um homem necessitado com uma dádiva especial: “Disse Pedro: Não tenho nem prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande” (At. 3.6). Não havia dinheiro no mundo que pudesse comprar um presente tão oportuno: a cura.

Podemos pensar agora nos presentes que temos recebido e oferecido: Jesus nos deu a vida eterna! Como seus seguidores e amigos, devemos imitá-lo e também dar às pessoas em torno de nós dádivas que mostrem que Deus as ama. Um presente pode ser uma oportunidade de aproximar uma pessoa de Deus.

E o que eu posso dar? A Jesus, posso dar a minha vida; para a igreja, o meu tempo e compromisso; para a família, respeito e honra; para meus conhecidos, amor e perdão; para as pessoas que desconheço, cuidado com o mundo; para o mundo, meu esforço e trabalho digno...

Presentes são oportunidades: aceite e ofereça a Jesus, o melhor de todos!

Comentar