Pub

Amados, agora filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele (I João 3:2)

O guerreiro Ulisses é protagonista de muitas lendas descritas na literatura grega. Ao retornar para casa após 20 anos de ausência em muitas aventuras, ele parecia um indigente e só o seu velho cão o reconheceu. A própria esposa só acreditou estar diante do marido quando ele lhe contou algumas coisas íntimas que só ele poderia saber.

Conta-se também que Verdi, famoso compositor italiano de óperas, foi rejeitado quando jovem pelo diretor da escola de música de Milão por aparentar pouca aptidão musical. O diretor não foi capaz de reconhecer seu talento e cometeu um enorme engano.

O apóstolo João, autor das palavras da leitura bíblica de hoje e também do verso em destaque, afirma ali ser filho de Deus, a condição mais nobre que alguém pode alcançar. Diz isso porque – segundo a leitura – reconheceu em Jesus o próprio Deus em forma de homem e o recebeu como senhor de sua vida. E apesar de ser filho de Deus, ou melhor, por causa disso, foi mais tarde preso e exilado para a ilha de Patmos (Apocalipse 1:9). Dificilmente alguém terá reconhecido um filho de Deus naquele velho prisioneiro. No entanto, ele teve ali visões da glória que o esperava junto ao Senhor quando todos os seus poderosos perseguidores já não existiriam mais há tempo.

Cabe aqui lembrar também o mendigo chamado Lázaro (Lucas 16:19-31). Quem veria nele um filho de Deus, digno de ocupar lugar ao lado de Abraão, no reino de Deus? Essa é a glória que Cristo outorga àqueles que o receberem, não importando o lugar que ocupem neste mundo. O apóstolo João diz também na leitura que viu a glória de Jesus, o Unigênito do Pai. Não importa a condição insignificante ou até miserável que possamos exibir aqui – quem é o filho de Deus já tem a glória de Deus dentro dele, aguardando o dia em que ela será revelada publicamente.

Por direito nada somos; recebendo Jesus tornamo-nos filhos de Deus. Esta é a glória reservada aos que crerem.

Comentar