Pub

A fatia maior, 7 milhões de escudos, é destinada ao carnaval de São Vicente e São Nicolau. O carnaval da Praia conta com um financiamento de 800 contos e mais 2 mil e 400 contos serão distribuídos pelos diversos municípios do país.

carnaval.jpg

Em São Vicente, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC) vai disponibilizar um total de 4.800.000 (quatro milhões de escudos cabo-verdianos).

os grupos Monte de Sossego, Cruzeiros do Norte, Flores do Mindelo e Vindos do Oriente receberão mil contos cada.

O Samba Tropical, que não participa da competição mas é já um emblemático grupo das festas do rei momo na ilha, receberá também 800.000,00ECV.

Na ilha de São Nicolau, o grupo Copa Cabana receberá um valor de 900.000,00ECV (novecentos mil escudos cabo-verdianos); Estrela Azul o valor de 650.000,00ECV (seiscentos e cinquenta mil escudos cabo-verdianos) e Brilho de Zona 650.000,00ECV (seiscentos e cinquenta mil escudos cabo-verdianos).

 A atribuição de uma quantia maior ao grupo Copa Cabana é explicada pelo MCIC como um incentivo extra pela celebração este ano dos seus 75 anos de existência.

Praia quer maior projeção

Na cidade da Praia o Ministério financia este ano a 100% o valor dos prémios a atribuir no Carnaval. O MCIC pretende assim apoiar o projecto da edilidade praiense de dar uma maior projeção ao carnaval realizado na capital do país.

O ministério justifica ainda a decisão como uma forma de “confirmar a importância que o MCIC atribui à cidade capital do país como um importante centro criativo do país, fato já reconhecido pela UNESCO ao inscrever a cidade como uma das 18 cidades criativas do mundo”.

Neste sentido estão sendo realizadas obras de preparação da Avenida Cidade Lisboa que deverão integrar um conjunto de ações para a projeção do carnaval Praiense nos próximos anos.

Para 2019 o MCIC anuncia a criação de uma linha de apoio direto aos grupos de carnaval da capital do país.

Mais 13 municípios inscritos e selecionados no edital destina ao incentivo ao carnaval, vão dividir uma quantia de 2400 mil contos.

Comentários  

0 # O Gov nunca perde. 05-01-2018 17:54
A perda é, e sempre foi, para o país e seu povo. desde quando gastar tanto dinheiro na promoção do alcoolismo, prostituição e drogas é investimento? Quem ganha com o carnaval? os produtores de bebidas alcoólicas e os agentes (empresários!?) do negócio ilícito. Espanta-me como é fabricado o dinheiro em tão pouco tempo para aquisição de viaturas; financiamentos de carnavais, e festivais, e filmes... e para o resgate dos animais e cultivos dos criadores e agricultores cria-se um sem fim de intermediários e obstáculos, que as verbas acabarão por se esvaírem pelo caminho, se é que saíram, alguma vez da origem; enquanto os cultivos ardem e os campos e seus donos testemunham a morte dos animais pela fome e sede; e os camponeses e criadores (a maioria já só com o titulo, sem cabedal) se despedem da última réstia de esperança de que as dores foram sentidas nas urbes e nos palácios...
Responder
0 # Atento.cv 05-01-2018 11:55
Com tanto desemprego e pobreza neste país, ainda mais com esta crise por mau ano agrícola, esse dinheiro dava para tirar muita gente da miséria. Depous vão choramingar no dia seguinte ao carnaval..
Responder
0 # RJ 05-01-2018 12:33
Se não fosse por causa de trajes "sexystas" das meninas, eu não viria com maus olhos o Carnaval. O investimento feito só traz benefícios para as famílias e não constitui nenhuma perda para o governo, uma vez que o dinheiro estará a circular dentro do país.
Responder