Pub

O presidente da Câmara Municipal de Santa cruz quer construir um mausoléu no cemitério local, com o intuito de “valorizar e preservar as memórias culturais do concelho, almejando torná-las num Património Cultural e Imaterial”. 

A intenção foi manifestada hoje à imprensa na Cidade da Praia, pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Carlos Silva, após um encontro com o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, para a apresentação e socialização de uma série de projectos culturais para o concelho de Katxas, Nasia Gomi, Sema Lopi, Antão Barreto, só para falar dos clássicos.

O autarca que acredita que o seu município tem as potencialidades para tornar o mausoléu em Património Cultural e Imaterial, assegurou ainda que “o objectivo do projecto é torná-lo numa oferta turística, ou seja, integrá-lo no circuito turístico para promover a cultura e o concelho”.

O ministério da Cultura e Indústrias Criativas absorveu a ideia. Segundo Carlos Silva, Abraão Vicente firmou o compromisso de apoiar na construção das campas de Nha Nasia Gomi e Antão Barreto, do projecto que abrange ainda Sema Lopi e entre outros.

Carlos Silva garantiu ainda que as campas vão estar prontas em Fevereiro do próximo ano, por altura da celebração da missa de falecimento de um dos envolvidos, para serem devolvidas ao público.

“Fomos muito bem-recebidos e encontramos também sensibilidades necessárias para nos encorajar para materialização desses projectos no domínio da cultura em Santa Cruz”, disse, acrescentando que vai ser assinado um protocolo entre as partes para materialização dos mesmos.

Além do projecto de construção do mausoléu, foram analisados também o projecto Centro Interpretativo de Funaná, o Centro Cultural Sema Lopi, ruínas da Igreja de São Tiago Maior - primeira igreja local, em Achada Igreja – e o programa Bolsa de Acesso à Cultura.

Sobre as ruínas da Igreja de Santiago Maior, que, no dizer do edil Carlos Silva, tem grande importância para os residentes, por lá conter as memórias do passado, a ideia é que a mesma seja reabilitada e transformada num espaço útil, até porque já lá se começa a celebrar missas, principalmente a de Nhu São Tiago Maior.

Com Inforpress

Comentar