Pub
Por: Redacção

 

Cinco dias após o seu lançamento no Youtube, o novo videoclip do single “Kondê” de Elly Paris, 21 anos, já conta com quase 40 mil visualizações e promete agregar muitos mais fãs à jovem cantora.

O videoclipe produzido pela Prisma Vídeo aborda abertamente o preconceito em relação à homossexualidade na sociedade cabo-verdiana, com um enredo ousado e que culmina no primeiro beijo romântico de sempre entre duas pessoas do mesmo sexo, numa produção audiovisual nacional, com Elly e a amiga Alécia Chantre como protagonistas.

Com «Kondê» Elly Paris dá o pontapé de saída na carreira a solo, ela que é uma das integrantes da dupla Divas Paris, com a prima Djarilene Paris.

A partir da letra da música, da autoria de Elly e de uma ideia da própria cantora, o produtor musical, Naná Almeida, e o jovem realizador, Belomy Xavier, souberam interpretar e materializar este belo projecto, que está a fazer furor no Youtube.

O resultado é um casamento perfeito entre a música e o videoclipe que ajuda a passar a mensagem de forma artística, “verdadeira e sentida, com muito amor”, segundo as palavras de Paris.

O vídeo de «Kondê» poderá ser, inclusive, um separador de águas em matéria de videoclipes a nível nacional. A mensagem na composição de Elly Paris é, porém, muito mais poderosa e abrange todo o tipo de preconceito.

Com «Kondê» ela dirige-se àqueles que não sabem viver com as diferenças e nem respeitar o outro, daí o refrão «Kondê ke bzot ta oia ke essencial e vivê», que também é uma chamada de atenção em relação às vítimas do preconceito.

“Muitas vezes as pessoas são obrigadas a viver uma vida que não é delas, mesmo que isso lhes faça infelizes... O engraçado é que a sociedade nos cobra a verdade e normalmente quem mais pede a verdade é quem menos preparado está para a ouvir e mostra mais insegurança”, reflete Elly ao Santiago Magazine. 

À pergunta da nossa reportagem sobre a sua orientação sexual, a jovem esclarece não ser lésbica e nem tão pouco a sua amiga Alécia que aceitou o desafio de protagonizar a supracitada produção. Porém, afirma que não teria nenhum problema em assumir a sua homossexualidade, caso fosse essa a sua opção sexual. 

Sobrinha de Tito e Toy Paris, o amor pela música herdou dos pais, também eles cantores - Aldina Paris e Osvaldo Duarte Silva. Mas foi o R&B o estilo que lhe cativou e permitiu soltar a sua voz e a música que lhe vai na alma. “Quero ser a primeira cabo-verdiana a vencer um grammy com o R&B”, diz, já que Cesária Évora conseguira o feito cantando a música tradicional cabo-verdiana.

A cantora já pensa no seu primeiro álbum para 2019, e até lá está já a preparar o lançamento de mais três singles e videoclipes este ano, estando o próximo previsto para o mês de Março, Mês da Mulher, com a produção musical de Élvis Varela.

Aliás, uma equipa da Prisma Vídeos desloca-se a São Vicente já no próximo dia 9, e o realizador e director da referida produtora, Belomy Xavier, desloca-se à ilha do Monte Cara ainda amanhã para a preparação prévia para as gravações do novo videoclipe.

Ao Santiago Magazine, Xavier salienta o entusiasmo de fazer parte desse projecto e o bom entendimento com Elly Paris. Sobre o videoclipe de «Kondê», o realizador diz-se muito satisfeito e orgulhoso do produto final, e Elly realça a receptividade positiva, “até agora” deste trabalho que traz ainda um depoimento da famosa Tchinda, que foi um dos primeiros homossexuais e travestis assumidos de Cabo Verde, e cuja história de vida já foi, inclusive, objecto de um premiado vídeo-documentário de um realizador espanhol. Veja aqui o videoclipe de kondê:

Comentários  

+2 # Nilton Spencer 10-02-2018 13:43
Grande musica, ótimo arranjo & instrumentação e excelentes vocais Elly Paris! Mas acima de tudo, essa letra é sublime! Estava realmente inspirada! :)
Responder
+1 # Ângela Pinto 07-02-2018 13:19
Adorei essa musica,a mensagem foi muito bem transmitida,acredito a que nossa a felicidade depende de nós,por isso nunca devemos ter medo de assumir a nossa identidade .
Responder
-8 # Ministro 07-02-2018 13:14
Isto é noticia? Sinceramente!
Responder
0 # Carla 06-02-2018 12:03
Gostei da musica, não devemos ter preconceito da orientação sexual de cada um. O importante é sentir bem e feliz.
Mensagem muito bem passada!!
Responder
-4 # Joao 06-02-2018 11:58
Duas lindas filhas do Diabo. Já entraram no caminho da perdição por vontade de exibir práticas contra a lei de Deus e da Natureza.
Responder
0 # de pina 26-05-2018 07:07
kkkkk elas gostam assim
Responder
+3 # djimbo 06-02-2018 10:23
Deus nos fez livre, e ensinou-nos as suas leis. cabo verde é um País livre, eu também me posiciono diferente.
Responder
+3 # Daniel Carvalho 06-02-2018 07:51
È assim mesmo. A vida é curta, que cada um desfrute à sua maneira. Mas eu posiciono-me do lado oposto.
Responder
0 # Augusto Borges 06-02-2018 15:28
Não existe opção para orientação sexual. Uma criança quando nasce ou apresenta órgão genital masculino ou feminino. Do resto é loucura.
Responder
+6 # Augusto Borges 06-02-2018 15:25
Ninguém tem direito de sacrificar o outro pelo facto de se ter desviado dos padrões naturais. Todavia, homossexualismo é um desvio social. O sexo só pode ser masculino ou feminino. Não existe uma terceira opção. Essa questão de opção é um pouco estranha. Da forma como as coisas estão tomar rumo, brevemente, os homicidas vão dizer que homicídio é uma opção. Os pedófilos vão reclamar os seus direitos. Os ladrões vão exigir espaço de atuação.
Como já disse há algum tempo atrás, a justiça deve investigar porque alguns turistas e algumas pessoas adultas que adquiram esse vício num outro país estrangeiro pagam crianças e adolescentes para experimentarem essa porcaria. Tais pessoas devem ser punidas. Devemos imitar apenas coisas boas. Por que é que no tempo dos nossos bisavôs, avôs e pais não se falava de homossexualismo em Cabo Verde?
Por que é que não existe cães homossexuais? Burros homossexuais?
Responder
0 # Juvenal Furtado 04-03-2018 07:49
Um excelente texto, contrapondo aqueles que pretendem impor vícios e defeitos como modelos a ser copiado pelos outros! Como disse Moisés Borges, devemos seguir apenas os padrões do bem, apesar de sabermos que existe os do mal!
Responder